Estando em modo pensamento, a mente resolve pensar em cada coisa, que não lembra  mesmo a ninguém.

Existe para aí uma palavra que se designa por felicidade, ao que parece, todos, ou a grande maioria, buscam o seu sentido, mais até do que isso, buscam a fórmula para a alcançar.

E dei comigo a pensar, e a questionar-me:

Quando é que foi, que o ser humano se deu conta, que não tinha a felicidade?
Será que existem registos das primeiras pessoas infelizes?
De que será que sentiam falta?
Será que buscavam um sentido para a vida?

Etc etc etc …

Poderia estar aqui a enumerar um cem número de coisas, mas o que me interessa, é saber como toda a infelicidade começou, e quem foi o autor deprimido.

Hoje em dia, vemos a pessoas dizerem, estou feliz porque tenho isto, porque tenho aquilo, porque fiz uma viagem de sonho, porque comprei aquela casa de sonho, etc etc etc…

Será que quem inventou a infelicidade/felicidade, está directamente ligado com as catedrais de consumo em massa?

De uma forma bem comum, se ouve dizer, que primeiro cria-se a necessidade , posteriormente apresenta-se a solução, será que se aplica também a este assunto?

Não imagino um pré histórico a “mímicar” sobre infelicidade…😂
Não imagino Homo sapiens reclamar por peças de roupa, um mesmo um sofá 😂…
Não imagino uma “australopitecas” a pensar em viagens e roupas de sonho 😂…

Estou a ver esta “gente” toda, apenas focada na sobrevivência, de tudo o que a natureza lhes dá, e ao que parece, tudo ia bem…

Um belo dia, alguém resolveu que tudo isto haveria de mudar, e, mudou, ficamos dependentes do consumo desenfreado, como se isso fizesse parte do processo da felicidade…

Vou assumir que a infelicidade foi inventada, sem noção da invenção, para dar lugar à felicidade das coisas, e de como as coisas a manipulam…

Mas isto sou só eu a pensar, e a escrever as minhas verborreias…

EU E O MUNDO

Anúncios