lagrima

Nada será como antes

Antes, estavam acorrentadas , sufocadas, estranguladas…

Cabiam dentro, num espaço sem tempo…

Percorriam altos e baixos

E estacionadas, afogam-se, ficando molhadas…

Mas, uma delas insatisfeita

Subiu mais alto e atirou-se cá para baixo

Esqueceu as que ficaram para trás…

Assim, libertada

Sem dar conta, escorregou pela face molhada

Desceu e foi engolida

Ficando de novo  acorrentada

Dentro da mente fechada…

Silenciosa baixou a guarda

Nada seria com antes

Ficaria para sempre presa

Com pequenas lembranças de um mundo

Que ansiosa por conhecer

O deslumbramento, lá dentro a fez morrer

Sem ter tempo de se arrepender…

SUFOCO!!!

Albertina Correia

Anúncios