BLÁ, BLÁ, BLÁ !

Esta nossa era, é, a era do blá, blá, blá, todos sabem esta conversa, cada um melhor que o outro, e todos se querem transcender no blá blá blá que querem dizer…

Quase todos, blablabam, sobre todos os assuntos, já ninguém se especializa, querem todos saber blablar sobre o que não sabem…

Resultado, encharcam-nos de blabladuras, que não queremos, que não entendemos, que não servem para nada, ainda assim se julgam expert nas matérias…

Que fizeram de vós, que são uns tristes para nós, até nos fazem crer que temos que aprender a blablar como convém, mesmo que não convença ninguém…

Assim segue o mundo com pessoas como cenário de fundo, onde o titulo e o final, são os blas blas blas, que já ninguém ouve, e finge no ouvir um blá blá blá de fugir …

EU E O MUNDO

A IDADE…

É com a idade que percebemos o que trazíamos  e não queríamos…

É com  o avançar de cada ano que deixamos para trás o que não nos satisfaz…

É com a idade que deixamos de sentir culpa apenas  por sermos nós…

Mas, também é com o andamento do tempo, que nos tornamos mais solitários, por não queremos pessoa mais iguais, em nada fundamentais…

Assim, ficamos mais leves, mais calados, mais rodeados de tudo que nos importa, do que não nos desmoraliza nem inferniza, não temos que estar politicamente correctos nos momentos mais incertos, não estarmos socialmente bem quando não nos convém, enfim,   podemos ser mais a nossa essência, desligado-nos sem culpa, da indecência que habita neste lugar, que não sabemos onde a foram buscar…

Andamos assim, caminhamos para a sabedora eterna, onde o que conta, é apenas o que carregamos de nosso, o que nos acrescenta, o que não nos apoquenta, o que nos alimenta, o que nos faz ser mesmo nós, sem medos nem receios, porque os anos nos deram o saber de dizer basta…

EU E O MUNDO

O VALOR DE UMA VIDA..

O valor de uma vida ou da vida, não é igual para todos, nem para  todas as culturas.

E, é tanto ou mais valorizada/desvalorizada, conforme as nossas crenças e circunstâncias.

As circunstâncias mudam, todos os dias, mas, existe uma crença enraizada que tende a não mudar, por isso mesmo, é que elas (as circunstâncias)  mudam…

Não vale a pena exaltar a mente, com tudo o que acontece à nossa volta, porque, volta e meia, desaparece, vai embora, e não damos mais importância…

Todos ou quase todos, temos um facebook, onde vamos, mais ou menos, postando as nossas circunstâncias, mas também, e muito,  as dos outros, mesmo sem querer…

Andamos endeusados, e anestesiados nem paramos, para reflectir, o que deve ou não ser postado…

Então, posta-se a vida louca que levamos, comentamos, opinamos, como se as vidas dos outros fossem as nossas vidas, como se o valor das vidas dos outros fossem iguais, ao valor das nossas vidas, e, não é, porque nunca foi, pois, não andamos todos no mesmo ritmo temporal…

Goste-se ou não se goste, uma vida e o valor que ela tem, é muito diferente, aqui ou no além, portanto, o caminho se faz, fazendo-se, mas, irritarmos-nos por coisas que não controlamos nem entendemos, é o mesmo que dar murros em pontas de facas, depois, lá está, mudam as nossas circunstâncias porque a crença reside dentro, e não pede licença para se expor seja quando, como e onde  for…

Uma vida só tem o mesmo valor, para quem coabita com as mesmas circunstancias!

As heranças culturais e educacionais definem tudo que somos, e por consequência como actuamos!…

EU E O MUNDO

 

 

 

“HOJE”

 

Insiste, persiste, repete, diz que disse, não disse, faz que insiste, desiste, uma roda viva emoções, acarretando acções que descontrolam as vibrações, depois…
Depois, vêm as disfunções, infecções, depressões, acompanhado de isolamento para resguardar este modo, turbulento…
Os dias de hoje são assim, a tecnologia dita a alienação, o endeusamento e a distracção!

EU E O MUNDO

TEMPO A CONTA GOTAS…

O tempo vai passando a conta  gotas

Umas maiores e outras nem tanto…

Deixam-se cair por terra e pelo ar

Como forma de se esvaziar

Fazem de nós seus reféns

Da forma que lhe convém

Nós, nada podemos fazer

Não controlamos este esvaziamento

Do tempo

De nada nem de ninguém

Pensamos que tudo sabemos e nada fazemos

E o tempo vai passando

As gotas se vão contando

Quando damos por ela, o tempo partiu

Olhamos uns para os outros

O que é certo, é que ninguém o permitiu


Mas ele a conta gotas, fugiu e ninguém o viu…

AC

NÃO SOMOS ÚNICOS…

Qualquer ser humano pensante, tem uma circunstância de vida diferente da do outro e de si mesmo,  a cada segundo que passa.

Não pode estar condicionado,  ou “amarrado” ao que fez e pensou, em cada minuto que avança ou avançou,  porque o tempo agora é diferente daquele que aguardamos.

Vamos vivendo dia dia, ouvindo e replicando, mas quase nunca pensado seriamente sobre o que realmente afecta a nossa realidade, tão diferente da do outro e mutante de forma galopante.

As pessoas não são máquinas, por isso mesmo, têm o direito de mudar a opinião com o tempo porque o tempo também muda, e ainda bem, assim permite-nos mudar de acordo com com ele, isso chama-se crescer.

No meio disto tudo, obviamente não nos podemos desviar daquilo que somos, mas, podemos com a toda a certeza, nos acrescentar mais um pouco do bom e retirar um pouco do menos bom, questão de bom senso e equilíbrio.

Por isso, evite criticar, ou replicar,  porque a realidade do outro nunca é igual à sua, e vice versa…

EU E O MUNDO

 

“FECHE AS JANELAS”…

Estamos de facto esvaziados, de ideias e ideais e outras coisas que tais!

Todos os dias se perde mais um pouco de cada individualidade, o tempo corre, não existe mais dele, para amadurecer assuntos, relações e emoções!

Cada um, parece querer cortar a meta em primeiro lugar, o resultado, é uma catadupa de informação, tão mal digerida, cujo conteúdo nada diz que não seja o já dito e redito, sem filtro!

Corremos atrás de tudo e de nada, vivemos através de janelas, que deixam passar tudo se estiverem abertas, e, nada se faz para as trancar e não deixar ninguém entrar!

Os indesejáveis sempre existiram, acontece que nos dias de hoje, fica complicado tirar a “fotografia” desses seres, pois que, normalmente, bem se disfarçam de intelectuais e outras coisas mais!

Resta fechar bem a sua janela e viver bem dentro dela…

De manhã quando acordar, apenas renove o ar, depois feche e não deixe ninguém passar!

EU E MUNDO

PARA COMEÇO DE DIA!!!!!!

“Somos um produto da sociedade doente, demente, hipócrita, egoísta, sem valores, de aparências etc etc etc …de conceitos e pré conceitos formatados para viver neste manicómio que se chama TERRA, esta que não tem culpa de nada, porque está doente , com uma “Humanite”…”
Sempre tão actual

pão

Um bom dia qualquer, sentadas num café, actualizando as “fofocas” do mês, do ano, de tudo e de nada, tudo isto , nos intervalos de conversas sérias…

O café começa a ficar repleto, e, normalmente elas saíam para dar o lugar, mas hoje não apeteceu quiseram ficar a conversar mais um pouco…tem dias assim…

E, no meio de tanta gente que entrou, também entrou um pedinte, que  percorreu as mesas todas em busca de algo (dinheiro?comida?), optamos pela comida, e assim se sentou ,ocupando uma mesa, com todo o direito.

O pedido, do foi um simples pão com manteiga, posteriormente pediu autorização para um galão, para acompanhar o pão…

E, continuamos a conversa, filosófica e de circunstância, até que o jovem pedinte, depois de quase engolir o galão e o pão (sim porque estava a ocupar uma mesa  :/ ) , levantou-se foi ter com elas, para  simplesmente lhes dizer…

View original post mais 362 palavras

PORQUE ANDAMOS NÓS, TRISTES E SÓS?

Porque andam os humanos, a discutir o seu território, a falar de valores e/ou a destruição deles?


Porque querem  circunscrever a sua posição geográfica?
Porque não sabemos lidar uns com os outros? Porque, porque, porque?

O planeta terra, foi dividido em partes, onde habitam modos diferentes de vida e de valores, de pessoas, estamos a querer misturar tudo, pensado que o resultado é um ser humano perfeito, não, não é, porque o ser humano está longe de ser perfeito, mas, pode ser mais do que aquilo que é, não fosse o facto de ser tão influenciável, e pouco ou nada pensante.

Que me interessa que o meu vizinho seja católico, budista, evangélico, negro, asiático, muçulmano, branco, etc, ?

Interessa e muito “ cada macaco no seu galho”, como diz o velho ditado, misturar azeite com água é impossível, andamos todos a fazer de conta que nos aceitamos, quando na verdade nos abominamos.

Não vale a pena viver o faz de conta, porque  o que que conta, tem medo de viver.

Somos todos formatados para pertencer a uma qualquer forma, então que nos deixem nas nossas formas, não nos imponham outras,  desformatadas.

Eu sei viver com a diferença, desde que a diferença não tenha a mania que o é, na falta de bom senso, que se limite de uma vez os territórios geográficos, e a “César o que é de César” com tudo de bom e menos bom que cada “império” tenha…

Irra…

EU E O MUNDO

PASSADO…


Deixei de querer saber de ti

Quando deixaste de querer saber de mim

Ainda  assim, te quero bem

Como tanto bem quero para mim…

A vida continua

Vou  deixando 

Tudo que não me acrescenta

Tudo que me apoquenta

A vida  tem que ser leve, para ser vivida

Não pesada,  ao  ser transportada…

ASSUNTOS