PELO CANSAÇO…

Assim nos vencem, todos os dias mais um pouco, pelo cansaço…

Esgotam-nos as energias e vontade de correr, atrás do que é suporto ser…

Damos por nós, prostrados impotentes, connosco e com toda a gente…

Chama-se vida a acontecer, mesmo, se é suposto assim não ser…

Deixam-nos sem argumentos, ou sem vontade de falar, sobre tudo que nos está a irritar….

Estão em um mundo diferente, onde o comum mortal, é apenas seu cliente …

Usam e abusam da informação, apenas para nos levar à exaustão…

Pior que tudo, conseguem, até vão mais além, deixando por conta do vizinho se fazemos ou não, tudo direitinho…

E o povo que nada pode, que nada aprende, vencido pelo cansaço, se deixa ir na enxurrada

Onde no final não existe mais nada …

Apenas cansaço, impotência, e mais uma Era prestes a acabar, sem nada mais para nos dar…

OS TERRIVEIS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

DERRADEIROS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

Os covideros de paixão, mais parecem os religiosos de convicção…

Para cada assunto mal explicado ou sem lógica, lá vêm eles, arranjar um justificativo, de facto, a religião estra impregnada nas veias, não deixa que os cérebros pensem sozinhos livres de crenças e de julgamentos alheios…

A medicina faz-se usando o contraditório, acontece, que neste caso, o contraditório é automaticamente apagado das redes socias/informação, e o povo aplaude sem ao menos querer ouvir a outra parte…

Em Portugal, diziam hoje os jornais mais importantes, e passo a citar “No ano 2020 não houveram mortes por gripe”, quando sabemos perfeitamente que morriam às centenas…

Mas, lá vêm os covideiros explicar, que era por causa de usarem máscaras e gel, blá blá, mas, são/foram as  mesmas máscaras e gel que não os protegeu do covid, há, pois, porque o covid era/é, mais contagioso, dizem…

Arranjam sempre uma explicação, mesmo que ilógica para não ter ouvir os outros.

Mas, a missa ainda vai no adro, vão-nos fazer um tal cerco, criar uma tal crença em nós, que vamos pensar que um simples passe sanitário nos devolve a liberdade (já de si muito limitada), quando é precisamente o contrário …

Porque razão, em todo o mundo, todos tomam as mesmas vacinas não havendo uma análise de risco associado mediante doenças que se possa ter?

Dir-me-ão, é em prol da economia, há pois é, em prol da economia deles, biliões de euros e dólares gastos em vacinas, e não ficaremos por aqui…

Pois, acabaram as guerras, é necessário outra fonte de rendimento, para estas elites, o povo paga,  desespera e morre …

Esta elite, também formada por estes acéfalos que andam no espaço, deveriam ir todos eles, mas, apenas com bilhete de ida…

OS DERRADEIROS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

O TEMPO QUE É APENAS TEMPO

Este tempo que é apenas tempo…

Quase se gasta de forma que não se sente, é indiferente…

Deambulamos pela vida, de forma paulatina…

Perdeu-se a pressa de outrora, foi embora?

Não fazia muita falta, mas agora, existe um vazio

De uma lentidão sem sentido…

Prometemos ultrapassar este intervalo, no tempo

Mas teima em ficar, apenas para nos atormentar…

Ainda assim , prometemos ser fortes

E como dos fracos não reza a história

Fincamos o pé, olhamos em frente, e, vamos lá toda a minha gente !

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

Um tempo sem tempo…

Um olhar sobre o que se passa, sobre um tempo que já nem é tempo, de uma Era que já era!

Estamos paredes meias com a vaidade, com a arrogância, com a pseudo solidariedade, e, vale de tudo um pouco, porque até o pouco, já não vale nada de nada!

Apanhamos estilhaços de conversas, arremessados ao acaso, ficámos pensativos, não verbalizámos mas nos emocionamos, com tudo que não fazemos, e já nem idealizamos!

Estamos vazios de pensamentos, de ideias e de ações, valorizamos o que não interessa e focamo-nos na desgraça que não passa!

Achamos todos que temos razão, que temos as verdades na nossa mão, as opiniões dos outros, são mesmo isso, as dos outros, fingimos que vivemos acompanhados, numa sociedade morta de cansaço, de raiva de medo, sem um fim à vista, fabricado pelo tempo que já não tem tempo, numa Era que já era!

OS ANOS LOUCOAS DO SEC XXI

 22/01/2020

LIVRO EBOOK

“Capítulo 3Cuidas de Ti, Mesmo Quando NãoTe Apetece

Cuidar de ti, é mais do que cuidar do teu aspeto exterior e bem-estar interior.

É também cuidar das tuas intenções, desejos e vontades.

É dar prioridade a ti e ao teu caminho nesta vida.

Quando não cuidas de ti a razão é sempre só uma – tens outras prioridades às quais dás mais importância.

Ou por outras palavras, dás menos importância a ti.

Quando aprendes, logo ainda no começo da tua vida, que não és a pessoa mais importante na tua vida, e que os outros exigem certos padrões de ti para que te valorizem e apreciem, começas a desvalorizar as tuas próprias.”

De uma terapeuta (Carla Francisco) bem experiente, pelo trabalho feito ao longo de vários anos, dento e fora de “portas”, vale bem a pena a leitura deste ebook, pois existem tantos catedráticos a falar do assunto mas não dizem nada

Recomendo

https://www.wellbeingterapias.com/livro-torna-te-a-mestre-dos-teus-pensamentos?fbclid=IwAR05LHi7OmOunYfACOyXiNn5DYxiHqk8wc36sHzktSMiV6SKyeE-WufwK4M

Cidades fantasmas !…

Perdidos nas planícies e montanhas 

Para lá do horizonte descoberto 

Somos tristes caminhantes 

no tempo, 

E, aos nossos olhos nunca iremos saber 

O que realmente  esteve mais errado ou  certo!

Deambulamos pelas nossas vidas 

Fazendo de conta que está  tudo bem 

E, não se pode julgar ninguém !

Há muito fomos julgados ,

Arremessados como farrapos usados ,

Sejam novos ou sejam velhos ,

Somos descartados e para algum lugar fragilmente atirados!…

Já não queremos saber o que dizer ou fazer 

Queremos apenas e tão simplesmente, Viver!…

OS ANOS LOUCOS

“A Idiota”…

Ela esperava sempre a tarde, no final do almoço, Ela sabia que ia ficar sempre só!

E todos os dias, durante largos anos, a rotina foi, no início da tarde até a luz desaparecer, ficar sempre sozinha!

Também era certo que era para andar de bicicleta, durante o tempo necessário de a recolherem, até podia ter sido interessante, mas, era uma brincadeira a solo!

No Verão, era sempre mais interessante, havia pessoas na rua, havia o sol, claridade até tarde, mas, de Inverno tudo mudava!

E, mudava tudo da rua, da rua, para um quintal, sem acesso à casa, e continuava tudo na mesma, sozinha até ao final da tarde, apenas alterava a geografia!

Acesso à casa não havia, como referido, era um esmagar de horas, à espera que elas se lembrassem que Ela estava ali sozinha e que existia!

Até que um dia, foi até ao fim do quintal para esticar as pernas, do outro lado do muro com rede, existia um menino, aparentemente da sua idade, entre os seis e os oito anos,  e foi assim que durante muitas tardes, brincavam um com o outro, cada qual do seu lado, como se fossem prisioneiros, ela, até era, só que não sabia, ele o menino, de que nunca soube o nome, estava apenas a acompanhar os seus pais, enquanto estes trabalhavam o campo!

Nunca até então, Ela se tinha apercebido da aberração de uma meninice solitária, onde terminava nos dias mais chuvosos, dentro de um anexo sem nada para fazer, onde a sua única distração, era apenas imaginar o que estaria dentro de caixas e mais caixas, solitariamente bem arrumadas, há!,  havia também  vários poters nas paredes,  de uma mulher dos anos cinquenta,  loira, com uma fita negra no cabelo, não sei quem era,  eventualmente alguma atriz famosa, apenas sei que por baixo de cada poster estava escrito em letras pretas (sim, tudo era a preto e branco) “A idiota”!

Passados tantos anos, acho que aquela “Idiota”, se adaptava na perfeição a Ela, que passava todo tempo, somando e multiplicando tempo, mas, o tempo era sempre o mesmo, MUITO, que idiotice sem escolha !

COISAS DE OUTROS TEMPOS!

ALERTA…

O F@cebook, juntamente com os do costume, estão a calar-nos de todas as formas!

O tempo, está a correr depressa demais, não dando tempo de pensar, é bem provável que um dia destes eu fique sem redes sociais!

Tudo começou com um post de um livro sobre Hitlerrrrr, onde eu escrevia que todos o deviam ler para que o mundo nunca se esquecesse das barbaridades, resultado, o algoritmo do homenzinho que em cima referi, bloqueou-me o face, enviando-me uma mensagem que que tinha publicado conteúdos impróprios! :/

Depois desse episódio, já me bloqueou mais vezes, apenas porque eu partilhei alguns dos meus poemas na minha página do facebook, poemas simples sobre a mulher, e fui bloqueada :/

Caso para dizer que andam á caça às bruxas…

Estou estupefacta, falar sobre a mulher deu direito a bloqueio ( e o poema até era bonito) :/

Que mais virá a seguir?

Provavelmente fecharem-me a conta, porque meia dúzia de algoritmos mecanicamente automáticos quer ditar leis sobre humanos com emoções!…

Quem lá meteu os algoritmos foram humanos, mas agora, já não são os humanos que controlam, portanto, posso considerar que é o principio do fim :/

Este não me vão bloquear porque não o vou partilha nas redes!

Pandemia nos trouxe até aqui, vamos ver até onde nos leva !…

OS ANOS IMCOMPARAVELMENTE LOUCOS DOS SEC XXI

Antes…

Antes, era ontem!

Ontem, foi o passado, do que gostaríamos de ter no futuro!

Estamos fechados em pensamentos e opiniões que nos dificultam a razão

Mas, não por falta de opção!

O excesso dela, faz de nós, seres carregados de teorias, mas, com as mentes vazias!

Gostava-mos de fazer diferente, mas somos muitos!…

Por isso mesmo,

O diferente, não é o melhor para toda a gente…

Poderíamos ser devidos por grupos, mediante as convicções de cada um…

Mas, o mundo move-se por massas grosseiras, derrubando ao passar

Todos aqueles, que de outra forma querem, ou possam pensar!

As massas, essas que são sempre as mesmas, as que não pensam pela própria cabeça

As que sofrem sem saber o porquê, convictas de que são heróis da nação!

Na verdade não o são, definitivamente não!

Por isso,

O antes foi ontem…

Ontem já é passado

De um futuro há muito tempo arquivado

Paralelo com o presente ausente, e um futuro inventado por toda a gente!

Gente pertencente às massas incautas

Que apenas conseguem ver

O que de facto, não está a acontecer…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

Não importa…

Não importa para nada

Saber que sabemos, ou mesmo,

Não saber nada…

Não faz diferença nenhuma, o saber é aprendido

Aprendemos o que queremos

Aprendemos o que nos dão, mas, aceitar é nossa opção!

A sabedoria é algo diferente

Não abrange muita gente

É fluida, não necessita de muita explicação

Nem teorias da conspiração!

Que importa saber o que os outros sabem, de igual forma?

O que muda é perceção de quem recebe

Ou aceita ou rejeita

Muitas vezes faz de conta para não parecer tonta!

Portanto, não importa nada

A vida passa numa virada

Hoje aprendemos tudo, amanhã não sabemos nada!

Pode mudar o tempo, podem mudar as pessoas

Mas ser sábio é diferente não abrange toda gente!

OS ANOS LOUCOS DO SEC. XXI