JANELAS!

Das janelas dela,

A imagem foi imponente, Ela não ficou indiferente…

O canto dos pássaros recolheram-se no silêncio, do vento…

Ela sempre soube que este dia seria diferente…

O dia brilhou, e com ele outra calma voltou….

São duas que precedem noites, com tempo no pensamento

Hoje não foi diferente, trocou a lua pelo sol nascente!

Deixou-o entrar pela janela

Encheu a sala dela

Estacionou de mansinho, dentro daquele cantinho

Amanhã abrirá de novo a janela

Para novamente perceber a vida

Numa outra perspectiva… A dela…

OS ANOS LOUCOS

MESMO SE…

Mesmo se o mundo não está igual!
Mesmo se o mundo é desigual!
Mesmo que tudo pare!
Mesmo que nos tirem a esperança!
O mundo, igualmente e lentamente avança!
Foco no futuro, atenta no presente, porque a vida não pode ser intermitente !
Os Anos Loucos

MAIS UM FIM DE SEMANA!

 

O tempo corre a uma velocidade furiosa, e nem por isso as coisas se descomplicam!

Damos-nos conta que o tempo tem outra contagem, corre por aí, pouco ou nada resolvendo, deste tempo que se avizinha muito cinzento.

Queremos que ele fique como estava, ou o mais aproximado possível,  pois era a forma como o conhecíamos, no entanto, ele demora teima e não vai embora.

Teremos que nos habituar a saber estar, ainda que  de forma diferente independentemente de tudo e de toda a gente!

Vai custando, mas o que verdadeiramente me custa, é ver as mascaras nas caras, os olhos tristes, o semblante caído, a falta de esperança em cada um que por mim passa, e eu junto!

Não quero estes tapa sorrisos, tapas bocas, tapa palavras, quero  tudo por inteiro, aguardo por isso que tudo se recomponha e que quem “manda”, se esfume com o vírus  e nos deixe em paz, para fazer o que é suposto fazer, ou seja, verdadeiramente,  VIVER!

OS ANOS LOUCOS

 

APENAS MAIS UM DIA…

APENAS MAIS UM DIA !
A praia estava vazia
A água, pouco ou nada se mexia
Não fosse este tempo turbulento
Bem poderíamos pensar
Que não habita ninguém neste lugar!
Mas, vêem-se pegadas na areia
De pessoas cansadas
De estarem de facto paradas
Vão dando assim vida, ao que já tem vida
Para nos fazer lembrar
Que está nossa vida deve continuar
E assim nos fazer esquecer
Este tempo de confinamiento
Que de uma forma descarada
Nos roubou algum dele
De uma forma dissimulada !
Errantes seres
Desta vida que fizemos
Mais dela não queremos !

OS ANOS LOUCOS

✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨

VENDEDORES DE LENÇOS!… :/

 

Dizem que isto tudo vai acabar bem!

Isto tudo, vai continuar em mutação, foi assim desde sempre, agora, se bem se mal, depende do ponto de vista de cada um, porque nas mudanças, existem aqueles que choram e os que vendem lenços!

Os que choram, fazem-no por diversos motivos, muitas vezes por impotência, e até por honestidade!

Já os vendedores de lenços, são uns perfeitos camaleões, porque vender os tais lenços, não tem tanto a ver com a adaptação ao momento de mudança, mas sim, com o oportunismo do momento, por algum motivo, esses vendedores de lenços, nunca perduram no tempo e pelo caminho, vão destruindo lágrimas de quem chora e sonha que pode fazer a diferença, mas, a honestidade muitas vezes o impede!

Se olharmos bem à nossa volta, não faltam vendedores de lenços, esses,  que quando precisamos de um para limpar o computador, de imediato nos vedem lenços de limpar mucosas!

Não sabem o que fazem, nem fazem o que sabem, porque na verdade não sabem fazer nada, o mesmo que dizer, amadores de tudo e profissionais de nada!!

Até lá, e  pelo caminho, uns vão insistindo, outros subsistindo os restantes vão nos atormentando a cabeça,  para não dizer um palavrão feio!

OS ANOS LOUCOS

XÔ TEMPO VIRULENTO!

QUE VERDADE(S)? #SEMSORRISOS!

Que verdade será que esta por detrás de uma pandemia, anunciada há muito mais de uma década que colocou o mundo inteiro num pandemónio?

Seja qual seja essa verdade oculta, não existe ou não assiste o direito a nenhuma pessoa ou grupos organizados de pessoas,  de nos massacrarem psicologicamente, pelo menos, não da forma que o estão a fazer!

O povo pouco ou nada sabe, outro tanto inventa e cria mais verdades e supostas mentiras, porque de facto, somos seres pensantes, como tal, a nossa mente vai por aí fazendo leituras, tirando conclusões e nada é verdade,  eu pessoalmente, não encontro uma lógica que faça para mim, pelo menos  algum sentido!

É certo que em outras épocas também houverem situações idênticas, mas, então de que nos serve tanta tecnologia e tanto desenvolvimento cientifico?

Pelos vistos, servem apenas  para angariar mais a mais fundos para desenvolver outras doenças e outras pseudo-soluções para essas mesmas doenças!

Máscaras para nos tapar o que de melhor temos no rosto, A BOCA?!

Essa que se expressa, diz verdades e inverdades, que sorri, que canta que grita, que se expressa sem a necessidade de saírem palavras, que brilha , que une bocas e mundos, mas que raio de autoridade é esta, de nos silenciar em nome de um vírus de Pacotilha?

Seria mais fácil matar umas tantas centenas de uma só vez, e acabar com o terror generalizado, que não anda nem deixa andar o mundo, não da forma como o conhecemos!

Mas existem Trump’s, Bolsonaros, Boris, etc, que andam contra a maré (Boris já aprendeu um pouco), e quem estará de facto mais certo ou mais errado, eles ou os outros todos?

Essas, são parte de verdades que também nunca saberemos, mas eles sabem, os que estão num lado e os que estão no outro!

Resta aos humanos, que de cansados desistam até de sorrir, mesmo já sem a mascara que o encobre, porque no final tudo vira um habito, e esta, será a era do #semsorrisos

OS ANOS LOUCOS

TEMPO DIFERENTE !

Está um tempo…

Um tempo diferente…

Triste, melancólico, nostálgico…

Sozinho parado ou estacionado!

Bêbado e ao mesmo tempo sóbrio!

Brinca com os humanos…

Como os humanos brincaram com ele…

Pois!

Na vida tudo tem um retorno…

O que dás de volta te chega…

E nada podes fazer para o deter…

Porque este tempo

É um tempo diferente…

Triste, melancólico e nostálgico…

Sozinho parado ou estacionado…

Bêbado e ao mesmo tempo sóbrio !

OS ANOS LOUCOS

ENVOLVENTE…

 

 

Ele era envolvente

Não a deixava indiferente

Mas estavam em mundo opostos

Apenas poderiam trocar sonhos e rostos!

Enquanto o tempo passava

Pela inquietude era tomada!

Porque ele era envolvente

E não lhe era indiferente!

Que fazer com a emoção da indecisão ?

De querer e não poder

De poder e não querer

De tudo e de nada

De justificações de emoções

De tantas lamentações

Afinal a vida passa

Em nós deixa a sua marca

Marcas de tempo bem ou mal vivido

Sem ou com sentido

Um sentido por vezes subvertido

Pela vontade dos avessos

De milhares de sensações

Provocadas por outras emoções

Tudo porque  ele era envolvente

E  claro, não lhe era indiferente !

OS ANOS LOUCOS