TEMPO QUE SE ESGOTA!

Daqui a pouco volta a ser Carnaval

Segue-lhe o Verão e finalmente o Natal

E não sabemos se vai acabar bem ou mal!

Continuamos da mesma forma

Essa forma que não tem forma nenhuma

Ninguém a entende, muito menos a compreende!

Mas prosseguimos, plenos de iluminados

Que mais valia estivessem calados!

Provavelmente é tempo de mudança

E arcar com esta pesada herança!

Quer queiramos ou não, fomos permissos

Então, já só existe uma solução

Morrer ou sobreviver

Qualquer uma delas está nos antípodas

Do realmente pretendemos mas não podemos

Por isso mesmo não a temos!

OS ANOS LOUCOS DO SEX XXI

POUCO A POUCO!…

Pouco a pouco, se vai perdendo o que considerávamos muito!

Esse muito, que num abrir e fechar de olhos se tornou insignificante e por vezes, até humilhante!

Humilhante, por termos e não podermos, por querermos o que sempre tivemos, sem nos darmos conta que afinal, era tudo irreal!

Pouco a pouco, voltamos ao inico, sem um principio, sem uma luz que se vislumbre, num caminho que se faz longo, onde pouco a pouco, nos leva até a alma e nos tira a calma!

Já não conseguimos discernir o certo do incerto, seguimos em modo calculado, pensado que fazemos errado, e o certo , por certo é o mais incorreto, porém, nada sabemos em concreto!

Assim prosseguimos, insistimos porque apenas existimos!

OS ANOS LOUCOS DO SEX XXI

DITADURA DO MEDO!

Nunca os números nos escravizaram tanto, mas estes, não são os financeiros, estes, são os da contagem do medo, do desespero, da não aceitação, da libertinagem, da liberdade ou falta dela, da conspiração, da clausura, do mórbido , da exaustão de tudo e de todos, mas principalmente, por pôr a nu a debilidade dos serviços de saúde em qualquer parte do mundo!

Vivemos algemados ao medo, não nos entendemos e não entendemos os outros …

Fazemos especulações, conjeturamos, queremos ter razão absoluta, diabolizamos, e ao mesmo tempo, lá vamos simplificando, o que resulta, é o que temos visto!

Também gosto de teorias da conspiração, sem entrar em paranoias, até porque a ciência, só se fez mais eficaz, quando usando o direito de contraditório…

Sei que escrevo da mesma forma que S. António pregava aos peixes, ainda assim escrevo, como forma de estar presente, lúcida, mais ocupada quando desocupada de trabalho, mais analítica, introspetiva, extrovertida, etc, e, tudo tem o seu tempo e o seu espaço, mas não sejamos a demasia em tudo, principalmente no que não podemos mudar, e assim escrevo e continuo a pregar 🙂

Desta forma, não singular, pois que a vida repete-se cem mil vezes pelo menos, segue o mundo, com este cenário de fundo, onde nos encontramos, esvaziamos e nos enchemos de nada …“2019 na época sazonal da gripe , morreram 12.000 pessoas em Portugal com a mesma” !!!!

Mas, nesse tempo não havia contagem de nada …

Porém, e pelo sim ou pelo não, vamos colocar a máscara, mais vale prevenir que remediar, desde que com tudo isto, não viremos pessoas sem rosto, sem riso, sem identidade, ou sem qualquer finalidade…

No final de contas, sempre vale a pena viver, sobreviver, lutar e depois vencer…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

TODOS EM REVOLUÇÃO!

São tempos diferentes, distantes do normal conhecido, passando rasteiras a cada um de nós, e nós, tropeçando e caindo como tordos!

Pensamos que sabemos tudo acerca de cada coisa, opinamos sobre o que não sabemos, guerreamos pelo que não queremos, e paulatinamente vamos seguindo uma manada, distante do que cada uma de nós quer individualmente!

Somo assim, somos gente:

Gente que pensa que pensa

Gente descontente

Gente indiferente

Gente autista

Gente anarquista

Gente que pensa que é gente

No final de tudo somos apenas gente, descrente!

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

A MÁSCARA …

Quando recebemos uma máscara!

Pode ser Natal, pode ser Carnaval , mas não é, é apenas o mundo virado ao contrário!

O sentimento é de confusão , pela máscara da ilusão!

Não sabemos de facto a sua eficácia, apenas sabemos que no carnaval, ela, não se leva a mal!

Fico a emoção da recordação, de uma máscara oferecida com boa intenção!

Tempos estranhos estes, que nos vão levar a outro patamar, apenas não sabemos qual, como tal , esperemos  pacientemente, solidariamente, até que tudo se resolva definitivamente !

OS ANOS LOUCOS SÉC XXI

ANO NOVO VS ANO VELHO !!!!

Eu sempre escrevia

Sobre o ano novo que não queria!

Nunca consegui perceber muito bem, porque se festeja, o que ainda não se tem!

Optei sempre por festejar, o ano que estava a terminar!

E assim fui fazendo a minha escrita, ano após ano dia após dia…

Quanto ao que terminou, não o festejei como seria de esperar, era imperativo ele acabar…

Segui sempre a minha premissa, festejar apenas o que deve ser festejado…

E de facto, o ano que passou, embora sendo passado, não foi por certo festejado, por não haver nada para festejar, deste insólito ano que estava a terminar…

Olhei apenas para os ponteiros do relógio, fiz um pensamento, olhei para dentro e deixei ir , expectante como sempre, com o que o veio substituir!

Agora, já só espero ter motivos para festejar quando o 2021 acabar…

Sempre foi assim e sempre assim será, esta forma de ser, por certo não mudará!

OS ANOS LOUCOS SEC XXI

PENSAMENTOS…

Os pensamentos ficam para trás

Já nada se reconstrói e nada  se refaz …

São congelados no tempo 

Imaginados a cada momento 

Mas, não são insubstituíveis …

Fazem parte de uma vivência 

De teorias e  aprendizados,  em vários estádios…

Julgamos-los certos, num tempo determinando

Mas passa o tempo e com ele, ficam  parados…

Apenas os recordamos como experiências havidas …

Mas,  nada mais são que experiências vividas!

Voltamos ao início 

Envolvidos neste reboliço 

De novos pensamentos esquisitos 

Destes tempos agora vividos …

Envolvidos que estamos agora,  em um  novo turbilhão 

Queremos desistir 

Mas os novos pensamentos nos fazem de novo prosseguir …

ANOS LOUCOS SÉC XXI 

HOJE TALVEZ!…

Ainda pensei que hoje talvez, mas não foi um momento de lucidez!

Porém, hoje não ainda acabou, quiçá, mais tarde lhe faça a vontade!

Vontade dos avessos, de coisas incertas mas reais como as demais!

As tais demais que estão tão desiguais!

Desiguais das dos tempos idos, implorando que não se vão, mas, é mera ilusão!

Hoje, provavelmente mais tarde, talvez refaça a minha verdade!

Até lá, fico por aqui, no talvez da sensatez, ou no agora não, da desilusão…

Coisas destes tempos, que não nos dão margem para mais nada que não seja a de ficar calada!

Por isso mesmo, e, embora hoje talvez, melhor esperar o agora não, da sensatez!

OS ANOS LOUCOAS DO SEC XXI

AGORA NÃO!

Agora, não quero saber de mais nada, não quero!

Está tudo dito, nas linhas e entrelinhas, só temos que as saber, ler!

O mundo está as avessas, mas as avessas, por vezes são as direitas…

Só temos que estar no lado certo e isso é o mais improvável!

Pois nunca saberemos o certo ou o errado…

Porque certo e errado, é como um estado liquido que muda conforme se revolve e envolve!

Queremos mais do que já tivemos, mas, já nem sabemos…

Estamos a pensar como o fazer…

Enquanto isso, quem nos desgoverna usa e abusa do poder, para mais disso, não se ter!

Pode ser que a vida já se tenha esgotado em si mesma…

Mas eu não quero saber disso para nada…

Agora não é o momento, agora não, ainda tenho vontade de ter a esferográfica na mão!

Agora não…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

FELIZ NATAL…

Olho através da vidraça,

O tempo que corre e que passa

A gente que fica e que vai

As horas que se  somam e que se subtrai

Dias cansados atribulados

Que não levam a nenhum dos lados…

São assim os dias antes Natal

Que ninguém leva a mal

Mas eu não corroboro

Então aguardo pacientemente

Que a passagem se faça rapidamente

Feliz Natal