Citação

SUFOCO!!!! —

Nada será como antes Antes, estavam acorrentadas , sufocadas, estranguladas… Cabiam dentro, num espaço sem tempo… Percorriam altos e baixos E estacionadas, afogam-se, ficando molhadas… Mas, uma delas insatisfeita Subiu mais alto e atirou-se cá para baixo Esqueceu as que ficaram para trás… Assim, libertada Sem dar conta, escorregou pela face molhada Desceu e foi […]

via SUFOCO!!!! —

Anúncios

ATRAVÉS DA MINHA “JANELA”…

Olho através da janela

Me deixo cair sobre ela

Vejo cada canto deste mundo, imundo

E não posso fazer nada que não seja

Estar na janela dependurada

Que janela esta que se abre todos os dias

E o que mostra é o mesmo mundo, moribundo

Crianças fazendo trabalho de adultos

Adultos pagando dividas de vigaristas

Vigaristas fazendo de conta que são ricos

Enquanto  bancos, estados, estão surdos e mudos

Nos esquartejam o corpo e alma

Sem dó nem piedade, e até com muita vaidade

Esta é a minha janela

Onde me penduro todos os dias

Sonhando a liberdade para quem está preso de verdade…

Todos nós…

EU E O MUNDO

MEDITAÇÃO…

“É preciso ter uma paciência para meditar”

 Esta frase que ouvi, é a frase mais reveladora do quanto quem nela pensa, está tão isolado de si mesmo.

Não precisamos de paciência para meditar, mas sim, precisamos de meditar para ter mais paciência…

Quem não tem “paciência” para meditar, não está preparado para ouvir o seu interior e o que verdadeiramente é importante para si, até ao ponto dessa importância se ir desvanecendo, e, de forma natural ir acontecendo de acordo com a essência que se pretende.

Como tudo na vida, a meditação também tem um início, será necessário de facto, calar “imensa gente” que habita dentro da mente, essa que todos os dias nos preenche cada pedacinho do corpo e muitas vezes, nos faz sentir completamente esgotados.

Um dia de cada vez, para tudo, marcando uns minutos  para falar consigo mesmo, sobre tudo que o preocupa, e não consegue verbalizar, e muitos assuntos, nem devem sequer, ser verbalizados.

Meditação é um esvaziamento da mente, e de assuntos que não é suposto lá estarem.

Quando esvaziada, a sensação é de flutuação, de libertação, de empoderamento, é reconfortante.

Talvez dê por si, a ser “menos sensível” aos problemas dos outros, o que não quer dizer que não se preocupe, apenas está mais virado para dentro de si mesmo, já que “resolver” os problemas dos outros, é extremamente fácil, pois que, não nos tocam, não habitamos neles, logo, dar soluções é rotineiro, já o mesmo não se aplica quando se trata de nós mesmos.

Por isto tudo, é fundamental o seu tempo consigo, ouvindo-se em meditação o que de outra forma, não seria possível…

Libertação

 EU E OS OUTROS

JÁ NÃO INTERESSA, INTERESSANDO…

Tudo na vida tem um tempo, e a hora H, será decidida por diversos factores.

É a essa hora que devemos dar a atenção máxima, pois aí habita, as decisões mais importantes da vida, e/ou que podem mudar uma vida…

Chegar até esta Hora, é um caminho, tanto material, mas, principalmente de ordem emocional, essa que muitas vezes nos prende, justificando-se ela mesma imensas vezes, baralhando-nos até…

Nesta Hora, temos que ser assertivos, preservar o que deve ser preservado, e guardar dentro a essência da Hora, porque e emoção dela (Hora), tem sempre razão.

Já não interessa, contudo, interessando porque o caminho não termina, é apenas mais uma decisão feita na hora H, para a qual existe sempre um tempo, e o tempo correcto, é agora, decide o futuro, é certo, mas, mais importante que isso, acerta os ponteiros do presente, que é onde vivemos…

Portanto, que se siga em frente, pois que, quando a Hora acontece, a decisão é tomada, o que vier será sempre melhor…

 

EU E O MUNDO

O JAGUAR…

O Jaguar, carro imponente, de outras eras, de outros passados que fazem agora  as delícias de um presente, em duplo sentido….

Acompanhou seu dono, de forma senhorial,  não havendo a percepção de quem era o Escravo e o Senhor..

Passaram décadas, o carro continua imponente, o Senhor ficou com cabelos brancos, manchados pelo tempo, até que um dia partiu…

Deixou o seu Jaguar em testamento, ao seu fiel mecânico que ao longo de décadas, o tratou como se fosse seu, e no final, o ganhou por testamento em detrimento da família, pois que, o Sr de cabelo  manchado pelo tempo, sabia muito bem, quem dele bem tratava, então, que seja deixado a quem percebe e por ele tem o mesmo  “carinho”…

Hoje,  o Jaguar, mostra-se imponente a quem passa, brilhante naquela montra, deixando quem o admira, com “água na boca” , por dele não poder usufruir…

Sei que vai ficar de novo em testamento, e assim passar de mãos em mãos, continuará porventura bem entregue…

O novo dono, não tarde vai ter com o primeiro dono, e juntos, irão rir dos longos passeios que deram juntos, um , o dono, fazendo de conta que pagava mais uma lavagem, o outro, o mecânico, fazendo de conta que o Jaguar precisava sempre de mais uma poliedela, contudo, ambos sabiam, que apenas partilhavam bons momentos, numa viatura “adorada” ambos…

(continua)

O JAGUAR

 

QUASE…

Quase já não me apetece escrever, porque os assuntos estão esgotados e saturados…

Os meus silêncios, deveriam ficar impressos directamente no papel, para eu ter melhor a percepção, do que devo escrever  ou não …

Mas, não é assim, eles vivem em mim, passam e repassam da mente consciente para a mente inconsciente e no intervalo, deixam sair  palavras soltas que dizem mais ou menos, o que pretendo transmitir….

Silêncio  e mente, mente em silêncio, é a combinação perfeita para não dizer alto mais nada, é aquele momento único, em dizemos tudo a nós mesmos porque ninguém nos ouve, ninguém nos julga, ninguém nos condiciona…

Portanto, quase já não me apetecer escrever, este estado resulta  da saturação, do que quero escrever ou não, e na dúvida fico em silêncio, esperando que passe esta quase vontade, de não escrever a minha verdade …

Quase escrevo, quase vivo, quase penso, quase desisto….

EU E O MUNDO

FACEBOOK…

Esta,  é a rede mais utilizada no mundo, por isso mesmo, a percentagem dos que não a têm , é praticamente nula, ou irrelevante…

Cada um faz da sua rede o que bem entende, contudo, à custa dela, as notícias e todos os assuntos, são repassados tantas vezes que nos intoxicam de forma avassaladora…

Por conta desta rede, até as redes de TV,  foram e são obrigadas, a dar as suas notícias também em sua função  (rede facebook)…

Digamos que o facebook, permite a cada um, dar a conhecer aquilo que é, o que não é e o que gostaria que fosse, assim,  somamos e seguimos a descaracterização do ser humano.

Devemos sair dela?

Talvez, como forma de nos testarmos, e testar o mundo que nos rodeia, mas, nesta fase, já é  uma utopia.

Ter ou não ter, já nem sequer é questão, porque é quase uma “obrigação”.

Eu, pessoalmente já a testei diversas vezes, bem como a forma de interacção das pessoas para comigo, os resultados são os esperados (por mim), ainda assim, quando me apetece, desligo a ficha completamente, para mim é fácil, ON ou OF.

Esta, como outras redes/jogos/net, criou nas pessoas, uma dependência tal, que já não se consegue destingir a realidade da ficção, como tal, sugeriria ao Mark Zuckerberg que criasse um algoritmo, para detectar tudo que é falso, incluso as fotos maravilhosas que não correspondem minimamente à realidade, e as noticias falaciosas, com isso, estaria a prestar um grande serviço publico à humanidade.

Até la façamos o nosso melhor, e ignoremos o que não interessa, porque o mundo está a afirmar o seu novo paradigma …A ALIENAÇÃO…

EU E O MUNDO

ESPELHO MATINAL …

Quando olho no espelho

Vejo imagens de sol e vento

De tristeza, alegria, mas, também de desalento

Vejo o verde que se esbate

Sobre um olhar que esvoaça e trespassa

Tentado ligar pensamentos do presente

A um futuro que se avizinha ausente…

Depois, volto a firmar e cerrar os olhos

Mantenho o foco

O espelho continua inteiro

Repassando a vida pela frente

Recuso-me a estar ausente

Ainda assim, a imagem não muda

Tristeza ou alegria que se aprofunda

Sobre vida que se vive de forma absurda

Nada mais conta

Que um olhar matinal

Sobre um espelho oval

Que passa todos os dias uma mensagem

De como os olhos vêm a vida e o mundo real

Visão aterradora e também já normal 

Contudo, ela  continua

Sempre existirá uma luz, lá bem no fundo

E quando a queremos apagada

Vem outro sopro de vento

E de novo a mantém  iluminada…

EU E O MUNDO

DIA DA “MÃE “

Hoje foi dia da Mãe, não faltaram os desfiles de fotos, com juras de amor eterno, às que estão e às que partiram…

Nem contra nem a favor, todos estão porventura certos, como tal, eu decidi  privilegiar  e direcionar a minha mensagem, à maior mãe de todas, A MÃE NATUREZA…

Esta que está sempre presente, em cada um que a queira realmente ver.

Dá-nos tudo que precisamos, sem termos que lutar por isso, dá-nos calor, frio, sol chuva, etc, dá tudo o que tem e o que não tem, e dá-se todos os dias incansavelmente…

Porém, nem todas a olham do mesmo jeito, porque ela não fala, e o que “fala” quase ninguém houve, por isso, tão mal tratada é, ainda assim, está lá qual mãe de carne e osso…

A minha caminhada, hoje, teve um duplo sentido, dirigi  minhas preces a quem já partiu, e enchi-me de bênçãos, para a que sempre está…

A imponência, a omnipresença, a magistralidade de tudo que somos e é, de onde viemos e vamos, e, neste intervalo alegro minha mente, refresco meu sorriso, sonho  com cada estação, até que todas se esgotem,  e eu não faça mais parte  deste mundo, mas,  para mim, nesse dia, me tornarei mais forte, e me transformarei eu também, numa grande parte dela, A MÃE NATUREZA…

EU E O MUNDO

METAFORICAMENTE ESCREVENDO….

E quando a lua se apagar, 

O oceano se esvaziar,

O sol deixar de brilhar, 

O vento não mais  soprar, 

E o céu ficar a chorar?

É chegada a hora  de irmos embora

De deixarmos de amar, de guerrear 

De nada mais ter que aturar

De não sermos nem estarmos…

Por que tudo se esgotou

Se transcendeu e se elevou 

Se encheu de uma vazio 

Onde não cabe mais nenhum sentido…

Nada mais fará falta

Não existirá ninguém para sonhar

Para testemunhar

Que o mundo se desvaneceu

Quiçá desapareceu, ou foi para outro lugar…

E nós perdidos

Mergulharemos sós e vazios …

É chegado o fim sem princípio

E um princípio sem início …

Paradoxalmente e metaforicamente escrevendo 

Coisas que não se entende nem se compreende…

Será ?

EU E O  MUNDO