Imagem

DIAS ESPECIAIS

Mais um ano 😊

DIAS ESPECIAIS

Todos os dias, são dias especiais
E porque existem dias especiais?
Não existem porque existem
Existem porque existimos

Cada um tem um sabor único
Uma leitura única
Um começar e prolongar
Até o novo ano chegar

Os dias só por serem dias
Já são super especiais
E não é por causa da chuva
Nem pelo sol brilhar mais

São, porque em cada um deles
Tem uma historia anexada
Uma pessoa firmada
Uma historia vivida
Uma vida contada

Então os dias especiais existem
Porque você existe
E
E hoje não podia ser excepção
21 de Fevereiro
É
Dia super especial
Não por ser sexta feira
Mas sim
Porque celebra uma vida inteira

Vida de alguém especial
Que lhe deu um sentido
Que fez com que 21 tivesse existido
De uma forma universal
Dando a excelência ao dia
Contribuindo com uma existência
De alguém que faria  a diferença

21/02/2014 ……………………….Albertina Correia

View original post

Anúncios

NUM INSTANTE…

 

 

 

 

 

 

 

 

O tempo, paulatinamente
Ou apressadamente vai passando
E se bem vivido, todo esse tempo fará sentido…
Não existe vontade que pare
Mas que avance, rumo ao que deve ser
Porque pelo meio, fica uma vida bem vivida
Sem saudade da que passou e passa
Nem com pressa de coisa alguma
Porque, entre uma e outra, existirá sempre o tempo certo
Deixando as certezas de que tudo vale a pena
Porque, quando o tempo é bem vivido
Todo ele, faz o nosso sentir e sentido…

EU E O MUNDO

AUSENTE, MAS PRESENTE…

 

 

 

 

 

 

 

 

Ausente mas muito presente…

O mesmo que dizer, que muito assunto é para morrer…

Contar ou escrever, não daria para entender…

Fica-se em modo introspectivo e por isso nada digo…

Escrevo para o interior, ignorando  ao redor…

Então pareço ausente, mas estou muito presente…

Por vezes, é imperativo parar e deixar andar…

Descansar o cérebro,  das explicações e teorias das mentes vazias…

E é bom…

Ficamos apenas com a nossa, que dela, tudo sabemos e podemos…

Ganhamos outra  vida, nesta que é a nossa vida

Por isso, pareço ausente, mas nunca estive tão presente…

No silêncio me reencontro, me refaço, me fortaleço

Nunca esquecendo de onde vim, assim sigo em frente, rumo ao eternamente…

EU E OS OUTROS

PENSAMENTOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O pensamento fugiu de mim
Foi sozinho, pensando pelo jardim
Fiquei a olhar
Como já não tinha pensamento
Também não já não pude pensar…
Apenas olhei
E se vazia estava, mais vazia fiquei
Vi tudo que havia para ver
Mas não pude registar
Porque o meu pensamento, estava em outro lugar
Tinha fugido de mim e vagueava pelo jardim…
Que pensaria ele, para fugir assim?
Que faço agora eu, se ele ainda não voltou?
Coisas do pensamento
Que toma conta deste momento
Saiu solto pela rua fora
Pensado sem mais demora
Não no que deixou para trás
Mas pensado para a frente, como ficar mais presente…
Espero que regresse, mas que não se apresse
Tem todo o tempo do mundo
Enquanto eu respiro fundo
O aguardo, para relembrar o que ele me trás
Mesmo não tendo ideia se disso eu sou capaz…

OCULTO

SEMPRE LOUVRE…

“O Museu do Louvre (em francês: Musée du Louvre), instalado no Palácio do Louvre, em Paris, é um dos maiores e mais famosos museus do mundo. Localiza-se no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Rival dos Champs-Élysées, e dá forma assim ao núcleo onde começa o Axe historique (Eixo histórico).

Vista exterior de parte do Louvre

Louvre

É onde se encontram a Mona Lisa, a Vitória de Samotrácia, a Vénus de Milo, enormes coleções de artefatos do Egito antigo, da civilização greco-romana, artes decorativas e aplicadas, e numerosas obras-primas dos grandes artistas da Europa como Ticiano, Rembrandt, Michelangelo, Pittoni, Tiepolo, Giotto, Goya e Rubens, numa das maiores mostras do mundo da arte e cultura humanas. O museu abrange, portanto, oito mil anos da cultura e da civilização tanto do Oriente quanto do Ocidente.

Senhor de idade contemplando quadro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mona Lisa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Louvre é gerido pelo estado francês através da Réunion des Musées Nationaux. É o museu mais visitado do mundo, recebendo 7,4 milhões de visitantes em 2016[2].”

Tantas vezes que fui á cidade da Luz, mas desta tirei mesmo do tempo, para ter tempo para visitar parte dele…

E se é certo que lá se encontram as maiores peças de arte, tá,bem lá se encontra um maravilhoso silêncio, a transbordar de cultura e sofisticação, principalmente na ala dedicada aos países do Norte da Europa…

Até já

 

CASTELO DE CHANTILLY FRANÇA

“O Castelo de Chantilly (em francês: Château de Chantilly) é um palácio localizado em Chantilly, Oise, no norte da França, no vale do rio Nonette, afluente do rio Oise. Monumento histórico ligado à personagem de François Vatel (1631-1671), que aqui teria criado a receita culinária do creme chantili (do francês Chantilly), compreende dois edifícios principais: o Grand Château e o Petit Château. Mais tarde, em 1781, a seu respeito, Louis-Sébastien Mercier referirá:”

Chateau de Chantilly

Chantilly

 

 

 

É mais um dos belíssimos cateslos que já visitei, e faça frio, calor, neve ou chuva, o encanto é sempre o mesmo…

 

 

Salão e arte …

O seu interior é de uma beleza indescritível, sejam os salões, a biblioteca, a cozinha, as escadarias, e arte da pintura por todos o lado….

 

 

 

 

 

Sala da música

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dentro um belo restaurante que nos remete para tempos ancestrais…

 

Uma grande dose de cultura, silêncio e tempo…

Até um dia Chantilly

Até já…

 

VIAGENS, ESSE ENIGMA …

 

  • Contemplação

    Museu do Louvre Paris

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Existem viagens e mais viagens..

Umas reais , e outras mentais…

Ambas são viajar, aqui mesmo, ou em outro lugar…

Diria até, que viajar mentalmente é mais real e abrangente…

Depois, temos as verdadeiramente reais

Que nos  colocam em cenários  ancestrais

Contudo, realmente até estamos presentes

Mas a mente continua viajar, para bem longe da cada lugar…

Viemos ao mundo para quê mesmo?

Começa o enigma

Ao pé daquela pessoa,  daquele castelo, da montanha

Ao pé de rios de mares, e muito lugares…

Tudo nos pode acontecer, e até do muito, reviver

Porém, nada que façamos se equipara ao precioso silêncio

À observação e introspecção profunda, sobre a viagem mental, seja ou não real…

A contemplação do belo, do inalcançável

Fica para lá do inimaginável …

Por isso, ali ficamos contemplamos o silêncio é mergulháramos…

Melhor viagem não existe, porque não  depende de tempo, nem de lugar

Mas apenas de onde a nossa mente quer e pretende ficar…

ENIGMAS

VIAGEM…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gosto de caminhos,

Estradas,  vielas e calçadas

Gosto de tudo que me faz caminhar

Sempre para um novo  lugar…

Não importa o meio, nem a estrada

Pode até estar amarelada ou encharcada

Mas, vai sempre directo ao lugar certo…

No intervalo de tudo, fica a boa sensação

De palmilhar o tempo, por vielas, caminhos e calçadas

De cabeça levantada,

Sempre buscando uma nova estrada…

Viajando neste tempo

O rumo se vai fazendo, por entre pensamentos

Por vezes, até esquecemos o já percorrido

Porque o foco, está no  que se vai aproximando…

E, descendo e subindo calçadas

Vielas e estradas

Chega-se a bom porto

Descansa-se da etapa,  imagina-se um novo caminho

Que por certo irá dar a um novo  ninho…

EU E O MUNDO

NÃO É PARA ENTENDER…

 

 

 

 

 

 

 

Hoje estive contigo
Seria no paraíso?
Vá-se lá saber onde é que eu fui ter…
Permaneci, ao teu lado adormeci
Não era dia nem noite
Nem inverno nem verão
Era outra qualquer estação
Molhamos os pés no mar, ou no ar?
Deitamo-nos lado lado, de braço dado
Juntos elevamos o pensamento
Fizemos Silêncio
Depois acordei da ilusão
Seria o paraíso ?
Estive eu contigo?
Os sonhos fazem parte da vida
Do que sonhamos e realizamos
Talvez tenha estado naquele lugar
Vá-se lá saber onde é que eu fui ter
Agora não tem importância
Estou de volta ao meu presente
Ao meu tempo e silêncio
Envolta em recordações
Dentro de uma terra perdida
Onde fui parar, acordada ou a sonhar…

MEU OUTRO EU

QUEM SABE…

 

 

 

 

 

 

 

 

Talvez já não tenha mais nada para escrever
No entanto, resisto e insisto
Não é masoquismo
É vontade de pôr em palavras, emoções e sensações
Que de outra forma não era suposto…
Quando pensamos que estamos vazios
Vem de novo a enxurrada
Trazendo um pouco de tudo
E de tudo que trás, poderá não se fazer nada
Mas,
Fica a escrita, da forma que é dita
Pensada, da forma que é formatada
Fica todos os dias, um pouco mais de mim
E enquanto for assim
Haverá sempre algo a acrescentar
Deste, ou de outro pensar
São as emoções, as sensações que nos fazem vibrar
Por isso escrevo como forma de as eternizar
Embora possa parecer que não existe muito mais a escrever…
Talvez já não haja mais nada para dizer
Mas só se for por hoje
Porque amanhã, logo se verá…

O MEU OUTRO EU