PESSOAS FUNDAMENTAIS…

Existem pessoas fundamentais

Dessas que nos fazem por dentro, sentir vivos

E por fora, com largos sorrisos…

São mesmo essas, que nada pedem em troca

Porque a moeda de troca

É apenas a sua permanência na nossa existência…

E vice versa …

Podemos correr e saltar

Mas dessas não existe em qualquer lugar

Pois não têm a ver com o “onde”, “como” ou porquê

Tem apenas a ver com a pessoa que a vê

Que faz dela essencial

E ela mesma torna-se especial…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

21/02/2021… Eu

E, saio pela estrada

De novo fazendo o caminho

Esse que parece não levar a nada…

Escondo-me de mim, dos pensamentos

De tudo que trago dentro

E saio, correndo atrás do que não entendo…

A vida é um enigma

Que não carece esclarecer

No momento, é apenas para viver

Todo o resto, são truques da própria ilusão

Para ela, nos ter na palma da sua mão…

Que estranha forma de mundo

Uns vivos, outros defuntos

No entanto, fundem-se e confundem-se

Na probabilidade de se encontrarem

Aqui ou no além, onde decerto não existe ninguém…

Fazemos o melhor que podemos e sabemos

Todos os dias tentamos mais um pouco

Com ou sem razão pensamos fazer o que está ao alcance da nossa mão…

Pensamos que erramos

Na verdade, o momento escreve a vida

Dita a forma como é vivida

Cada segundo se altera no segundo seguinte

E nós corremos atrás do que não compreendemos

Ainda assim corremos…

Alguns, nem todos

A ignorância é o melhor que pode acontecer a um humano

Sofre menos, não se cansa

Vive a vida despreocupada

Não querem saber de nada

Mas quando tudo dá errado

Culpam sempre o mesmo lado

Próprio da ignorância com pintadas de arrogância…

É a vida

Com mais um dia que saio pela estrada

Pensando em tudo e em nada

Vivendo a vida da forma que se me apresenta

Proibindo-me de ser ignorante

E também não querendo aprofundar, o que de facto não dá para explicar…

Complicações da alma, do pensamento que trago dentro

Que por pensar demais

Atropelo-mo contra o politicamente correto

Mesmo sabendo que não está certo…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

A SUNNY DAY…

Tempo sempre tivemos, preocupamos-nos em demasia a dividi-lo que depois ele se esgota…

Agora, já temos mais algum, podemos acrescentar coisas que antes não fazíamos, por exemplo, como cantar (em “público”)…

E, cante-se bem ou cante-se mal, o importante é cantar, porque lá diz o velho ditado, “quem canta, seus males espanta” … 🎤🎼🎹🎸🎺🎷🥁🪕🎹🎼🎻

Dedico esta música, ao mundo inteiro

SUNNY DAY

Os Anos Loucos Do Séc XXI

SOBRE A NEVE…

Foto de Gerald Henquez Les Amies de Versailles

Até a neve, está imaculada

Não se vê nenhuma pegada

Uma poesia que extravasa, sem marca

Um branco que ofusca, límpido e apaziguador

Não existe nada em seu redor

Nada que se pareça com alguém

Está tudo “adormecido”…

Enquanto o universo se entrega a ele próprio

Agora em estado puro

Onde humanos desorientados, estão estacionados!

Impedidos de caminhar sobre a neve que cai

A chuva que limpa, o vento que varre

Nestes nossos anos loucos do Sec XXI

Onde o tempo que passa

Nos impede de colocar a nossa marca!

OS ANOS LOUCOS DE SEC XXI

TAL E QUAL …

Pessoas especiais, são pessoas originais
Diferenciam-se por não serem mais iguais
Nem está certo, nem está errado
Apenas em modo desencontrado
Com o politicamente estipulado …
Não são boas, nem são más
São apenas especiais
Por não serem mais iguais
Não  têm medo das palavras
Tratam-nas tal e qual elas são
E se um “S” é de Sim, um “N” também é de Não
Fará talvez confusão
Mas é simples e prático
Não confunde, não ilude, e são tais e quais
Por isso são tão especiais
Nem sempre estão certas, nem sempre estão erradas
Mas se assumem-se pelo que dizem e fazem
Sem medo de julgamentos e pré conceitos
E assim são, as pessoas especiais
Todas aquelas que não são mais iguais…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

AS VACINAS VS PRIORIDADES!?!?!

Por vezes, passam-me pensamentos pela cabeça que parecem (não para mim) descabidos, mas depois, ouvimos entidades a falar sobre o mesmo assunto , e afinal, percebemos que não eram assim tão descabidos!

Estamos cansados de uma pandemia que não tem fim à vista, como tantas outras enfermidades que não deram tanta reação, nem contagem de óbitos, eu chamar-lhe-ia a pandemia dos PCR’s!

Inventam-se vacinas em tempo record (se é que já não estavam pré preparadas), fabricam-se seringas que não têm fim, mais oxigénio, máscaras, testes, zaragatoas, etc, uma série de consumíveis que coloca em marcha a transação de milhões para os de sempre ,contudo, com isto ninguém contava (pelo menos o simples mortal) , então, colocou-se a prioridade de vacinar para fazer parar a pandemia…

Ora, os da linha da frente (sector medico) é imprescindível, o que não entendi (entendendo) é a vacinação de idosos, como prioritário, quando esses, praticamente não saem de casa, deveriam ser salvaguardados ao máximo pelos familiares, e sim, aplicar as vacinas à população activa, pois que, os que estão no activo, que SEM QUEREREM, OS CONTAMINAM…

Não seria de bom senso, vacinar primeiro toda a população a activa, para que pudessem trabalhar sem medos e assim, voltar para juntos dos seus idosos, sem medos de os contagiar?

E como podem estes trabalhar sem medos se não são vacinados?

Queremos a economia a funcionar, para não morrermos da cura, queremos a vida a andar, mas considero que se está começar pelo fim!

Ora, eu não sou nenhuma iluminada, mas ou eles (governos) não pensam, ou então faz parte do processo que juntos idealizaram…

Sou a favor dos idosos, sim, mas estes, foram e são contaminados por pessoas que os tratavam e tratam, mesmo nos lares, que se fossem primeiro vacinado (os cuidadores) isto não se aconteceria da forma que acontece, porém, sou eu a pensar, e pelos visto não fui a única, uma ministra do antigo governo de François Holland, pensou exatamente o mesmo, portanto deve fazer algum sentido…

Esperemos pelo desenrolar de tudo, inclusive dos que já foram vacinados …

Vivam os Idosos a sabedora do destes seculos, vamos cuidar de quem cuida deles, para que eles, não se apaguem…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI

OLHAR PARA LÁ

Um olhar sobre o que se passa, sobre um tempo que já nem é tempo, de uma Era que já era!

Estamos paredes meias com a vaidade, com a arrogância, com a pseudo solidariedade, e vale de tudo um pouco, porque até o pouco, já não vale nada de nada!

Apanhamos estilhaços de conversas, arremessados ao acaso, ficámos pensativos, não verbalizámos mas nos emocionamos, com tudo que não fazemos, e já nem idealizamos!

Estamos vazios de pensamentos, de ideias e de ações, valorizamos o que não interessa e focamo-nos na desgraça que não passa!

Achamos todos que temos razão, que temos as verdades na nossa mão, as opiniões dos outros, são mesmo isso, as dos outros, fingimos que vivemos acompanhados, numa sociedade morta de cansaço, de raiva de medo, sem um fim à vista, fabricado pelo tempo que já não tem tempo, numa Era que já era!

OS ANOS LOUCOAS DO SEC XXI

 22/01/2021

CONFINAMENTO…

Confinamento, também é silêncio, o silêncio de todos os inocentes e de outros menos crentes!

Estamos em rota de colisão, com a desilusão, com o desespero, e até com a vaidade de nada, por vezes exagerada!

São relatos chocantes de pessoas singulares, de vidas estagnadas, esperando o incerto, num presente atribulado, ruidoso e ao mesmo tempo calado!

Já pouco ou nada se pode fazer, num mundo a esmorecer, onde todos já parecem loucos, de uma loucura que não era suposto acontecer!

Temos quase todos, saudades das mesmas coisas, dos risos, dos sorrisos, dos abraços e de olhares sem desconfiança, mas sim com esperança!

Diziam por aí, que ia ficar tudo e bem, e vai, mas não para todos, e nada será como antes, mas temos que continuar a caminhar, enquanto isto está acontecer, não se pode esmorecer …

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI