PASCOA/EASTER? NÃO. A DEUSA ISHTAR = EASTER?!?! (será mais um acaso a parecença das duas palavras)

A curiosidade habita bem mim, de forma inata, e de forma inata, percebo, que afinal a minha percepção, intuição, não anda longe dos assuntos ancestrais, que quebra com todas as crenças instaladas e até cómodas, como um sentido de vida, será por isso que uma maioria se sente vazia?…

Hoje quis perceber (de outra forma e encontrei) o que era a Páscoa, e não foi por acaso que descobri mais um livro, a ler, sobre a biografia de Jesus ( de Rodrigo Alvarez) “Jesus era um revoltado. Teve momentos muito agressivos”

O que tem isto a ver com a Pascoa? Aparentemente nada, mas o livro deve ser bastante revelador, ao ponto de ser incomodo como refere o autor…

Como se não bastasse, ao mesmo tempo, deparo-me com mais um video de Revelation Humana (que sigo), onde e  também Leon, veio falar sobre esta época Pascal e da forma como a mulher foi, é anulada pelo poder masculino/eclesiástico.

A data de comemoração da Páscoa, nada tem a ver com a Ressurreição de Cristo (um dia tudo se saberá), mas sim, com a celebração da Vida, da Mulher, da Deusa Ishtar que por esta época do ano, celebrava o amor/sexo/reprodução/primavera/ renascer da vida, de cada rebento da natureza, da essência sobretudo feminina…

Mas, mais uma vez, a religião tomou em si esta data, e converteu na Ressurreição de um Homem, Cristo.

Abafando assim o real motivo, a fertilidade, a Mulher, o renascer a celebração da vida, que por esta altura do ano, podemos ver em qualquer ramo de árvore, qualquer jardim, nos acasalamentos dos animais, na energia positiva que a natureza nos transmite, com  renascimento cíclico…

Contudo, a mesma religião, ou a economia em massa, deixa algumas pistas que podemos seguir:

Porquê um coelho na Páscoa? E, não é um coelho qualquer é um coelho que está associado a ovos!!!!!

Ora coelhos não põem ovos, mas, são um símbolo de fertilidade, porque é um animal que procria de forma rápida, está directamente ligado ao acasalamento/sexo/vida…

Então,  resumindo, esta deveria ser uma data para celebrar a vida, a MULHER, a natureza, novos acasalamentos,  com  alegria, com cor, com amor, com positividade, e o que vemos e celebramos?

Uma época triste, de morte, carregada,  mórbida, Negativa

20 Abril, é a data de comemoração da Deusa ISHTAR, DA VIDA, mas, desde há muitos séculos, desvirtuou-se  a data, e comemora-se em cima dessa mesma data,  a  morte de um Homem!!!

E assim é por longos séculos, impresso nas mente das pessoas/mulheres, para assim os poderes instalados as controlar, por algum motivo não existem mulheres PAPA…

Direito ao contraditório, pelo menos para reflectir…

Obs: De forma sucinta, convém “desmontar” mais informação para melhor percepção

(continua)

EU E O MUNDO

 

 

Anúncios

HOJE…

 

Hoje, pode ser agora como este tempo que decorre…

O que decorre é transformação, dos tempos que já lá vão…

Quase ficamos sofucados de tanta informação barata…

 Sobre assuntos , de assuntos que não dizem nada de nada…

São opiniões sobrepostas, que poluem o ar que queremos respirar…

Mas temos que estar “ligados” às máquinas

Mas, não tem que ser, porém,  parece que temos sempre algo a dizer…

Não fazemos a diferença, mesmo sendo diferentes…

O que se passa?

Sao os tempos que decorrem, ou pode ser mesmo agora

E, agora vou-me embora, está tudo dito, repetido

Mais de milhões de vezes mas, sem qualquer sentido…

ASSIM

VAMOS LÁ VER SE NOS ENTENDEMOS!!!…

A catedral veio abaixo, dois terços ruiu,  por causa de alguma coisa que para já, não interessa, pelo menos a mim…

As redes sociais dão a noticia, minuto a minuto, segundo a segundo, sobre o estado do monumento…

Fala-se mais mal do que bem sobre o sucedido, mas isso também é normal, anormal seria se falassem mais bem do que mal…

Falar bem, não é falar favoravelmente sobre o tema, mas sim , falar assertivamente sobre o assunto…

Falar assertivamente, tem o seu quê de intelectualidade, é necessário espírito critico pela positiva, aliás, sempre pela positiva deveria ser o lema da humanidade…

Já passei largas horas dentro da referida Catedral, a Notre Dame,  é de cortar o fôlego, tamanha “grandiosidade”, chega a comover pelo seu todo, e eu não a admiro pelo lado religioso, mas sim, pelo lado humano (de quem a construiu no terreno) e pelo lado da arte que ela representa para o mundo, sim, para o mundo porque o mundo é de todos, a história escrita é mundial, pertence-nos, é nosso património também imaterial, e foi precisamente “isso” que ruiu…

À parte de tudo isto, já foram doados 600 milhões de €, para a sua recuperação, e bem, tire-se o dinheiro a quem o tem, o resto são contas de outro rosário.

O espírito  da maioria das pessoas, que circundam as redes sociais é o mesmo e o de sempre:

  • Tanto dinheiro para pedra, e esquecem-se dos pobres!!!
  • A pedra vale mais que vidas humanas ??
  • etc

As pessoas que mais comentam depreciativamente , são porventura, as mesmas que provavelmente enchem os cofres de todas as  religiões por esse mundo fora e batem com a mão no peito…

Portanto, aguardo com expectativa e alegria, que a Notre Dame renasça das cinzas, de forma  mais imperial,  majestosa, imponente e mostre ao mundo que o dinheiro doado para a recuperação, nada mais é,  que as doações feitas pelos que reclamam, o agora dinheiro doado, portanto, está tudo certo e ao mesmo tempo está tudo errado…

Para o bem da arte no geral, que se faça o que tem que ser feito, dar “chama”, a algo que com chama foi derrubado…

EU E O MUNDO

 

PORQUE SE PERDERAM OS VALORES DA SOCIEDADE?

Prometo não ser politico-socialmente correcta, como sempre o faço…

Quando foi que se perderam os valores, e as gerações ficaram doentes e vazias?

Antes haviam mães em casa, que cuidavam dos filhos enquanto os maridos trabalhavam, a sua tarefa (das mulheres) era mesmo cuidar (de tudo)…

Com o andar da carruagem, as mulheres quiseram a sua “independência“, e bem, apenas foi esquecido um grande pormenor, os filhos ou as crias, ficaram entregues a si mesmos, ditando  eles próprios as suas regras, e, quando não se sabe dos pormenores, não se percebe o todo…

Se antigamente era o pai que para colmatar a sua ausência, mimava/estragava demais os filhos, agora as mulheres também o fazem, no intervalo disto, perde-se a autoridade…

Filhos com dose dupla de estragação, não pode dar bom resultado, e a verdade, é que esse mesmo resultado, está à vista de todos, onde não existem culpas nem culpados, apenas existem vitimas, e uns seres que nada acrescentam ao mundo que gostávamos de ter…

Mas, a mulher tem todo o direito a ter a sua carreira, claro que tem, mas com este modelo de sociedade,  entregaram-se os filhos ás creches, depois são depositados em OTL (ocupação de tempos livres) e afins, que os educam como bem se sabe, minando todo o tempo livre que têm,  para estes poderem brincar de verdade, sem horas marcadas, nem pressão para serem os maiores da rua deles

Existe muito homem, que trocaria de bom grado a carreira, por uma vida doméstica a cuidar de filhos também, assim creio…

Utopia?

Talvez, ou talvez não, como está é que ficou muito mal, os adultos esqueceram-se das crias, da sua educação, de quem dita as regras, de quem  cuida, de quem brinca e chora junto com eles…

Hoje em dia, é tudo artificial, e já não é problema apenas dos filhos/crias, é de pais também, os que já pertencem à geração “abandonada” a si mesma, portanto, ninguém sabe ou pode ensinar, aquilo que nunca aprendeu, e assim vamos, até que a roleta, faça o inverso, como sempre o fez,  assim que se atinge o exagero…

Existem muitas excepções, claro que sim, e, ainda bem …

(continua)

EU E OS OUTROS

ESCREVO SOBRE AMOR 💖, A PEDIDO DO BRASIL…

Falar ou escrever sobre Amor, é um pouco inglório é estranho, para mim, claro está…

Mormente, este sentimento se confunde com , posse, dependência, que provoca, intolerância, ciúmes, entre outros…

Amor, é apenas amor de amar, seja um companheiro, sejam os filhos, sejam os pais, sejam até terceiros, que despertem em nós, esse amor ao próximo.

Amar os filhos é fácil, diria até que inato, eles, até podem e fazem, muitas asneiras ao longos de suas vidas, tal como cada um de nós faz e fez, mas, os pais sempre perdoam, sempre arranjam um jeito de tudo ficar harmonioso e resolvido, a isto, chamamos amor 💕 incondicional…

Por vezes, esse filhos, sem razão aparente desprezam os pais, e eles , pais, aguentam firme, sofrendo por não saber ou poder ajudar, isto é amar…

Já aquele amor que sentimos pelo próximo, que até não é das nossas relações pessoais, não deixa de ser amor, e por vezes, por eles até fazemos e aceitamos assuntos como se da nossa família se tratasse, isto é sabedoria no amar…

Mas, passando para o amor entre dois seres humanos, sejam homem mulher, mulher mulher ou homem homem, não deveria ser muito diferente, porque o amor não conhece género, era o que faltava, uma lei universal, fazer distinção entre o que alma ordena…

Quando este amor, é mesmo amor, sente-se, cuida-se, acompanha-se, está-se presente, e não tem a ver com posse…

Se por algum motivo, a alma escolher outro parceiro, o que pode acontecer e acontece, guerrear por quem vai, não é de todo amor, é possessão, dependência, pois que, quando se ama de verdade, só se quer ver o outro muito bem, tal como os pais querem ver bem os seus filhos, por vezes magoados é certo, mas o amor vence tudo, aliás, só o amor vence tudo, portanto só um acto de amor 💖, resolve o mais enfermo, o mais magoado, o mais desprezado…

Só sei falar de amor, deste jeito, porque o amor não é divisível em estados e/ou pessoas/géneros…

Portanto, posto isto, antes de amar, ame-se em primeiro lugar, assim, quando o outro partir, não deixa em nós um vazio, e não leva nosso coração  consigo, mas, vai e fica, o conforto de missão bem  cumprida…

Quando amor reside em nós, tudo é mais fácil, tudo se simplifica, e nada se complica…

Porque amor 💖 , é penas amor, essa lei universal que está em desuso, por incompreensão do ser humano, onde a principal causa, está no materialismo desenfreado que nos entra todos os dias casa dentro, através da tv e redes sociais …

(Continua)

EU E OS OUTROS

NORMOSE!?!?!

Normose é um conceito de filosofia para se referir a normas, crenças e valores sociais que causam angústia e podem ser fatais, em outras palavras “comportamentos normais de uma sociedade que causam sofrimento e morte”.

Paradoxo, comportamentos normais que causam sofrimento e morte!!…

Os tais comportamentos, estabelecidos pelas normas da sociedade e suas culturas.

  • Serás uma excelente aluna (o)
  • Serás uma/um excelente profissional
  • Serás uma/um excelente dona de casa
  • Serás uma excelente oradora/orador
  • Serás  uma “excelente”politica/politico
  • Serás uma/um crente religiosa excelente
  • Serás uma excelente musica/o

Serás tudo isto e muito mais, mesmo contra a natureza da tua essência,  porque a normose imposta, só te permite ser, o que a norma impõe, como politico-socialmente correcto…

Cada minuto que passa, está mais doente, mais depressiva/o, mais ansiosa/o, mais stressada/o, com muito medo de mostrar quem realmente és, porque de imediato, és internado num qualquer manicómio, envolto numa overdose de químicos, para te fazer esquecer quem de facto ÉS, e, até conseguem…

Lembras-te do da história em que a criança disse, que o Rei ia nu, enquanto os adultos faziam de conta que ele levava as melhores vestes?

Pois, precisamos de todas essas crianças que habitam dentro de nós, para a acabar com esta Normose, cegando-nos para o óbvio e o quanto especial e únicas/os que somos…

EU E O MUNDO

O MUNDO EM DOIS, QUAL A SUA PARTE?!!!

D4ED1CA7-E740-427A-950E-03BFADCDB2C0

A distribuição das pessoas no mundo, pode ser dividida em duas partes:

A pobre , de cenário negro e a rica, a de variados tons cintilantes .

Entre uma e a outra, permanece um cinzento angustiante, onde deambulam a maior parte dos seres que não pertencem a nenhum dos lados.

De vez em quando, e conforme crises, os cinzentos aproximam-se do cenário negro, enquanto os ricos, se esquecem que existe mais mundo para além do deles e deles próprios.

Os pobres sabem sofrer, por não ter, por não terem noção de que nada têm, ou de que poderiam ter mais, nenhuma crise os abala, pois que, nada  lhes pode ser retirado, já que nada possuem.

Os ricos, hó, os ricos, esses que vivem a vida louca, dentro de um realidade única que lhes é exclusiva e artificial, mas em verdadeiros tons cintilantes, num coma profundo.

Os cinzentos, esses que andam no limbo, almejando por uma vida mais abastada, trabalhando arduamente para não cair no pior dos lados, são os constantemente massacrados, os que carregam e colecionam doenças, as ditas doenças do Século XXI, depressão, ansiedade, Stress, burnout, etc, com tudo isto, eles ganham nada mais nada menos, do que uma vida monótona, repetitiva e insignificante, de grande desperdiço em busca do, mais do mesmo,  a única  diferença entre eles e os ricos, é que os últimos, tem uma percepção bem diferente, do que nunca chegarão a ter, ainda que se esforcem até à exaustão e terem a noção das referidas doenças.

Os pobres, viverão para sempre na ignorância do nada…

Ainda  assim, caminham todos, os pobres e os ricos, para o fim, num ritmo alucinante, deprimente e degradante.

Chegados às suas reformas, rapidamente descobrem que não sabem fazer nada com o tempo que lhes resta, e por isso mesmo, até morrem mais depressa.

E assim é, a dualidade do mundo, onde parecemos todos diferentes, mas, no cinzento intervalo, provamos ser todos iguais, sendo que o fim, mostra a triste conclusão do todo…

EU E O MUNDO

UM ÚNICO DESEJO, POR APENAS …

Ai se me fosse concedido um único desejo, nem que fosse apenas por umas horas…

Eu escolheria algo tão simples, como desligar o botão que mantém activas as redes sociais …

E, não era preciso desligar todas,  chegava-me o Facebook, esse face descarado, que põe a nu, o que é, o que não é, a bondade alheia qual capa de parvoíce fantasiada, pessoas maquilhadas com Photoshop, férias inventadas ou por encomenda, bebés expostos como se fossem mercadora para vender, lindas “lengalengas  “, repetidas até à exaustão, que mais não servem, do que ocupar espaço nas referidas…

Eu gostava de ter esse desejo, e desligar por uma horas apenas, veríamos o desvario desvairado, de todos, sem poupar géneros nem idades , somos uns obcecados e consequentemente alienados da realidade, por estarmos a viver on line, “realidades” de outros que são tudo, menos realidades reais…

Como eu gostava de colocar o on,  em of, talvez por umas horas as pessoas estivessem atentas a outras coisas e outros assuntos…

Ainda assim, estou em crer que passariam todas essas horas, a tentar perceber porque raio o face não funcionava…

Alienação  completa do mundo, ou se quisermos, sempre a par de tudo no mundo em tempo real, mas que realmente apenas é, para comermos o que nos querem dar…

A ordem mundial toma forma, e nós  com eles nada podemos, demais “enfarinhados” para fugir da norma, neste caso a  facebookiana…

Quem sabe um dia, o meu desejo se concretiza, até lá, também eu, de quando em vez, lá vou na enchurrada….

EU E O MUNDO

#REGISTO DE CRENÇAS ….

 

Só por hoje não me irrito:

Irritar, faz-nos mais mal a nós,  do que, quem em nós provocou a irritação, se tivermos a capacidade de identificar de quem foi o problema, na dúvida, deixe partir.

Só por hoje não me preocupo:

A preocupação atrapalha, o que de facto queremos e gostaríamos de bem resolver, turva a mente, não a deixa clara, e não nos permite estar/ser isentos ou assertivos, na dúvida deixe ir.

Só por hoje sou grata:

Agradecer por hoje, pelo que tivemos e temos, é libertador, apaziguador, mesmo se não correu tudo bem, a gratidão reconhece, na próxima, a anterior já não existe

Só por hoje serei amável com as pessoas:

Ser amável, mesmo se o outro está desalinhado, só atrai para nós, pessoas do bem, e mesmo se existirem das outras, o bom tratamento as deixa desconsertadas, sem motivo para reagir, então, a amabilidade resolve mais que alguma fracas palavras.

Só por hoje trabalharei árduamente:

O trabalho é uma dádiva,  cada vez mais, a falta dele, é grande motivo de  angústia, depressão, tristeza.

Saber preservar o que se tem, é meio caminho no andado, incluso o trabalhar arduamente,e,  para que ele aconteça, é o topo.

Todas estas crenças, cravadas em nós, são apenas por hoje, porque vivemos no presente, o futuro é daqui a apouco, até lá, pode acabar o mundo, pelo sim e pelo não,  sejamos gratos, não nos irritemos, não nos preocupemos, sejamos amáveis  com os outros e trabalhemos árduamente, tudo neste preciso momento, amanhã tudo se repetirá, e depois logo se verá…

O ENIGMA DA MENTE

SER OU NÃO SER EIS A QUESTÃO…

“Shakespeare, ao escolher tal frase, “ser ou não ser eis a questão”, talvez ele não imaginasse tantas interpretações dessa frase longe daquele contexto.”

Pois é, ser ou não ser, a grande questão desde sempre, que foi eternizada pelo Shakespeare,  o que hoje podemos perceber desta questão?

Podemos bem, ser ou não ser, a grande questão está na interpretação que cada um fará, de acordo com a suas circunstâncias de vida, e abertura de mente.

Ser ou não ser, tanto seja homem ou mulher, a questão reside em apenas ser, sem se importar com distinção de género, afinal, a vida e na vida, tudo se resume  apenas, a ser ou não ser, como aceitar ou desprezar, ser rico ou pobre, ser feliz ou infeliz, ser rei ou plebeu, ser inteligente ou não inteligente, ser dono ou empregado, ser velho ou novo, mandar ou ser mandado, etc, no intervalo disto fica a semântica…

Contudo, seja qual for a dualidade, a questão  a cada um pertence,   questão não é mais que a escolha, seja ou não, de forma livre ou acorrentada, depois de tomada, fará parte da conclusão,  de se ser ou não ser, que bem pode ficar sem questão…

Ainda assim, ser ou não ser, deveria ter sempre, só e apenas, a conclusão de cada um, sem julgamento de terceiros, mas,  como vivemos em sociedade, interventiva demais pela negativa, este Ser ou não Ser, e a sua questão, sobe para patamares difíceis de digerir e de decifrar, mas sempre se pode tentar …

EU E O MUNDO