NÓS E O TEMPO…

Entre a Lua, o nascer do Sol e o pôr do Sol, há um intervalo onde eu existo, neste que é o nosso sítio…
Não adianta guerrear, contrapor, contra argumentar, rodearmos-nos de coisas fúteis porque, no dia seguinte será igual, a escolha é sempre nossa, e de como queremos entender tudo…
As pessoas mudam, nós mudamos, tudo anda em contra ciclo, mas, neste nosso sitio, o equilíbrio mora desde o anoitecer até ao entardecer, o que sobra, é nada, e nada é onde nos afogamos por causa do que não necessitamos …

OS ANOS LOUCOS

A CONTAS GOTAS …

17517240-B985-473A-A8F4-1DF2C7D2ED85

O tempo vai passando a conta  gotas

Umas maiores e outras nem tanto…

Deixam-se cair por terra e pelo ar


Como forma de se esvaziar

Fazem de nós seus reféns

Da forma que lhes convém

Nós, nada podemos fazer

Não controlamos este esvaziamento

Do tempo

De nada nem de ninguém

Pensamos que tudo sabemos e nada fazemos

E o tempo vai passando

As gotas se vão contando

Quando damos por ela, o tempo partiu

Olhamos uns para os outros

O que é certo, é que ninguém o permitiu

Mas ele a conta gotas, fugiu e ninguém o viu…

OS ANOS LOUCOS

ENGANAR O TEMPO!

 

Não irei de novo com o vento, no tempo…

Quero-o bem distante de mim, assim…

Assim, é como eu quero que seja

Sem horas marcadas

Sem dias contados

Sem nada de nada

Ignorância guardada

Para não dar lhe dar nenhuns pretextos

Pois  de mim o tempo nada sabe , nada faz…

E vai continuar assim, bem distante de mim…

Talvez eu o faça entender que o tempo não está a acontecer…

OS ANOS LOUCOS

O AMOR…

Ai esse amor que nos coloca fora de pé

Que não nos dá tréguas

Que nos estremece

Enquanto o tempo acontece…

E acontecendo o amor nos vai fazendo

Todos os dias mais um pouco, e aos poucos

Saltamos sem medo enquanto ele se faz segredo…

Vivemos à toa, ou desnorteados

Atribuindo culpas e culpados ao amor que não encontramos…

Quando distraídos o amor em nós poisa

Entra, deixa marcas, vai e regressa

E nunca tem pressa…

OS ANOS LOUCOS

 

DEPOIS DO SOL POENTE…

Fico parada olhando o sol poente

Escaldante e sereno como sempre…

Enigmático, simples, potente e omnipresente…

Todos os dias nos oferece a beleza do infinito

Presenteando-nos neste nosso belo sitio…

De passos lentos se vai embora

Devolvendo-nos a noite serena

Depois do sol poente sempre regressa a Lua ausente

E para lá de tudo isto

Fica sempre o mistério do infinito!…

OS ANOS LOUCOS

 

PARA LÁ DO AZUL CELESTE…

Hoje olhei o azul do céu como habitualmente quando ele é presente…

Estava azul trasparente quase consegui ver o que estava a acontecer …

Não pela parte visível que todos percebemos, mas pela parte escondida que mal é percebida….

Quase me fundi entre o azul e o tempo, para lá do vento, do sol de inverno que rapidamente arrefece enquanto o tempo desaparece….

Parei, olhei, vi-te ali fiquei…

Sorri, chorei, lágrimas que nem eu sei…

Ela tem esse efeito em mim

Aguardo sempre ver além o que raramente aqui tem…

Coisas da mente, da minha mente criativa, imaginativa, sôfrega de um mundo novo

Quiçá escondido, para lá deste azul transparente onde permanece intemporal nos sonhos de uma simples mortal…

OS ANOS LOUCOS

ONDE ANDA A FELICIDADE?!?!

 

A felicidade está dentro e fora de nós…

Queremos muitas coisas e até pessoas, mas não mandamos em ninguém nem em nós!

A felicidade, por vezes, também é dorida quando sentida…

Essa dor que alivia, por sabermos certo o caminho mais correcto…

Não o caminho da multidão mas sim, o caminho do coração…

Esse que sente toda emoção,  o faz trabalhar devagar ou apressadamente e por vezes descompassadamente…

Não queiramos o que não aguentamos!

A felicidade é simples, mas exige uma dose grande de sabedoria, de irreverência e de rebeldia…

Felicidade é fazer muitas vezes, o que não é suposto ser…

É ir contra uma sociedade inteira, e ao mesmo tempo querer ficar com ela…

Mas, não se pode ter tudo mas pode-se ser feliz, nem que seja por um dia, e que o dia seja apenas de alegria…

Porque depois vem o amanhã e então  logo se verá!…

OS ANOS LOUCOS

SÓ HOJE!

Hoje sinto-me ausente…

Anseio por um lugar  diferente!

Fecho os olhos imagino um mundo…

Para lá de um céu profundo…

Onde tudo se encontra em estado virgem…

De pessoas, de ideais e de outras coisas tais!

Existe um silêncio sem fundo…

Notas soltas viajando à velocidade da luz…

Onde não existe nem tempo, nem vento, nem lamento…

Tudo isto porque hoje me sinto ausente

Ansiando por um lugar diferente!…

OS ANOS LOUCOS