“SER HUMANO É UMA CRIAÇÃO DEFEITUOSA” P/ LUCIFER

De facto o ser humano não pode ser mais defeituoso do que, o que é.

É um ser estranhamente estranho, não é conciliador, não é solidário, não é amigo, aliás, amigo não é, com toda a certeza.

A sua imperfeição, roça a boçalidade,  o incompreensível,  do que ele deveria ser de facto.

Desfaz sem fazer, fala sem saber, ajuda porque convém, é amigo nas horas que dá mais jeito, é um ser deveras imperfeito.

Trabalha arduamente para alimentar o Ego…

Comummente se diz, que quem tem amigos não morre na cadeia, nem é preciso, porque eles coabitam dentro e fora da dela, conforme  conveniência …

Quem criou o ser humano, esqueceu-se de lhe dar a Humanitude, agora, até isso é suposto aprender, aprender a ser humano, no sentido de cuidar do próximo de forma digna.

Nunca o mundo foi tão desumano e teoricamente tão bom e solidário…

Esta solidariedade que tem que vir em capas de revistas e afins, para assim,  a imperfeição corroborar a formatação a que fomos sujeitos à nascença, onde até o Livre Arbítrio, já não sabe o que, e como fazer…

EU E O MUNDO

Anúncios

LIBERDADE COM AMARRAS

45 Depois da ditadura em Portugal…

Pensamos que somos livres

Num mundo feito de prisões

Cada qual olha seu umbigo

Como se os outros fizessem parte ou não…

Nunca fomos tão globais

E Teoricamente tão iguais

Adoramos as nossas ilhas

Cada uma com sua especificidade

Não queremos saber dos outros

Nem da sua realidade…

E pensamos que somos livres

Porem acorrentados à sociedade

Essa que inventa de tudo

Para a ela nos prender

Fazendo-nos crer quer somos livres

E apenas somos livres para morrer…!!!

EU E O MUNDO

View original post

TEMPO DO NADA E DE NINGUÉM…

Vivemos no tempo do nada, em que o nada, também é de ninguém…

Nada sabemos de concreto e  ninguém esclarece o que é certo…

Moramos num planeta, repleto de gente da treta…

Dizem coisas sem nexo, e sem nexo nos asfixiam com assuntos mofentos, de outras eras, que se fortificam nas de agora, relembrando sempre as de outrora…

Agora, somos apenas gente, cada um no seu canto, opinando sobre nada,  sobre assuntos de ninguém e como a cada um convém…

Julgámos-nos cada vez mais sábios,contudo, estamos encharcados de tantas teorias, como de tantas mentes vazias…

Estamos perdidos no meio da confusão , por não saber em quem a acreditar, ou  não…

Pensamos até o pensamento doer, querendo quase obrigar a mente, a resolver assuntos que nem deviam acontecer…

E assim vamos, uns acreditando e outros fazendo de conta, e o que conta é nada, esse nada que engole ninguém, por conta não se sabe bem de quem!!!!

EU E O MUNDO

TEMPOS DE MUDANÇA…

 

Nada é por acaso, nem ao acaso, tudo tem um motivo para acontecer, e acontece,  tantas vezes, quantas pensamos que não acontece…

Uma  tem a ver com o que não queremos, e quanto mais não queremos, mais acontece do que não se quer, depois tem as outras que parecem o caso, e foi precisamente  quando se deixou a preocupação, que elas se formaram positivamente…

Isto não é algo que se estude em livros, de como deve ser, e será, não, isto tem a ver com a quantidade de sofrimento que cada um pode suportar, até não poder mais, aí começa a conhecer de forma contrária, a fluir positivamente…

É neste ponto que não se pode relevar ou esquecer o que deu origem, portanto, é necessário foco para que não nos voltemos a perder de novo, tudo isto, dentro da nossa “cápsula”, depois temos que gerir as outras cápsulas, para que não interfiram na nossa, nada é 100%, mas que ajuda bastante, lá isso ajuda…

COISAS SEM NEXO

DESCODIFICAR?

 

Hoje “choro”, não de tristeza mas de algo que não consigo descodificar…

Um mundo que entendo, que sou obrigada a aceitar, mas não me revejo nele, mas nele devo ficar…

Nada me choca, nem as catedrais, nem os atentados, apenas fico triste, e aceito algo que não posso mudar…

O mundo sempre sofreu de doenças incuráveis e degenerativas, como a do ego inflamado, onde a cura, é mais do mesmo para que ele se agigante, e consiga calar a essência de onde habita…

Todos temos um, uns mais, outros menos, de vez quando usamos mais, outras deixamos ir, mas, faz parte de cada um de nós, sem ele (ego), neste mundo, não valemos nada, porque a doença virou epidemia, onde a normalidade é ser egocêntrico…

E quem não é ou não tem, também não é notado, passa despercebido, com ele nada querem, porque esta doença alimenta-se de outros egos, medem-se uns pelos outros, com o objectivo claro, de possuir o maior…

Assim vamos, matamos por ego, erguemos por ego, vivemos por ego, porque é isto que nos ensinam há séculos…

E se não  fosse assim?

Eu não sei, mas teríamos que reaprender a viver , desta vez, apenas com a essência que temos e não usamos por medos infundados, que habitam dentro de quem os tem…

EU E O MUNDO

PASCOA/EASTER? NÃO. A DEUSA ISHTAR = EASTER?!?! (será mais um acaso a parecença das duas palavras)

A curiosidade habita bem mim, de forma inata, e de forma inata, percebo, que afinal a minha percepção, intuição, não anda longe dos assuntos ancestrais, que quebra com todas as crenças instaladas e até cómodas, como um sentido de vida, será por isso que uma maioria se sente vazia?…

Hoje quis perceber (de outra forma e encontrei) o que era a Páscoa, e não foi por acaso que descobri mais um livro, a ler, sobre a biografia de Jesus ( de Rodrigo Alvarez) “Jesus era um revoltado. Teve momentos muito agressivos”

O que tem isto a ver com a Pascoa? Aparentemente nada, mas o livro deve ser bastante revelador, ao ponto de ser incomodo como refere o autor…

Como se não bastasse, ao mesmo tempo, deparo-me com mais um video de Revelation Humana (que sigo), onde e  também Leon, veio falar sobre esta época Pascal e da forma como a mulher foi, é anulada pelo poder masculino/eclesiástico.

A data de comemoração da Páscoa, nada tem a ver com a Ressurreição de Cristo (um dia tudo se saberá), mas sim, com a celebração da Vida, da Mulher, da Deusa Ishtar que por esta época do ano, celebrava o amor/sexo/reprodução/primavera/ renascer da vida, de cada rebento da natureza, da essência sobretudo feminina…

Mas, mais uma vez, a religião tomou em si esta data, e converteu na Ressurreição de um Homem, Cristo.

Abafando assim o real motivo, a fertilidade, a Mulher, o renascer a celebração da vida, que por esta altura do ano, podemos ver em qualquer ramo de árvore, qualquer jardim, nos acasalamentos dos animais, na energia positiva que a natureza nos transmite, com  renascimento cíclico…

Contudo, a mesma religião, ou a economia em massa, deixa algumas pistas que podemos seguir:

Porquê um coelho na Páscoa? E, não é um coelho qualquer é um coelho que está associado a ovos!!!!!

Ora coelhos não põem ovos, mas, são um símbolo de fertilidade, porque é um animal que procria de forma rápida, está directamente ligado ao acasalamento/sexo/vida…

Então,  resumindo, esta deveria ser uma data para celebrar a vida, a MULHER, a natureza, novos acasalamentos,  com  alegria, com cor, com amor, com positividade, e o que vemos e celebramos?

Uma época triste, de morte, carregada,  mórbida, Negativa

20 Abril, é a data de comemoração da Deusa ISHTAR, DA VIDA, mas, desde há muitos séculos, desvirtuou-se  a data, e comemora-se em cima dessa mesma data,  a  morte de um Homem!!!

E assim é por longos séculos, impresso nas mente das pessoas/mulheres, para assim os poderes instalados as controlar, por algum motivo não existem mulheres PAPA…

Direito ao contraditório, pelo menos para reflectir…

Obs: De forma sucinta, convém “desmontar” mais informação para melhor percepção

(continua)

EU E O MUNDO

 

 

HOJE…

 

Hoje, pode ser agora como este tempo que decorre…

O que decorre é transformação, dos tempos que já lá vão…

Quase ficamos sofucados de tanta informação barata…

 Sobre assuntos , de assuntos que não dizem nada de nada…

São opiniões sobrepostas, que poluem o ar que queremos respirar…

Mas temos que estar “ligados” às máquinas

Mas, não tem que ser, porém,  parece que temos sempre algo a dizer…

Não fazemos a diferença, mesmo sendo diferentes…

O que se passa?

Sao os tempos que decorrem, ou pode ser mesmo agora

E, agora vou-me embora, está tudo dito, repetido

Mais de milhões de vezes mas, sem qualquer sentido…

ASSIM

VAMOS LÁ VER SE NOS ENTENDEMOS!!!…

A catedral veio abaixo, dois terços ruiu,  por causa de alguma coisa que para já, não interessa, pelo menos a mim…

As redes sociais dão a noticia, minuto a minuto, segundo a segundo, sobre o estado do monumento…

Fala-se mais mal do que bem sobre o sucedido, mas isso também é normal, anormal seria se falassem mais bem do que mal…

Falar bem, não é falar favoravelmente sobre o tema, mas sim , falar assertivamente sobre o assunto…

Falar assertivamente, tem o seu quê de intelectualidade, é necessário espírito critico pela positiva, aliás, sempre pela positiva deveria ser o lema da humanidade…

Já passei largas horas dentro da referida Catedral, a Notre Dame,  é de cortar o fôlego, tamanha “grandiosidade”, chega a comover pelo seu todo, e eu não a admiro pelo lado religioso, mas sim, pelo lado humano (de quem a construiu no terreno) e pelo lado da arte que ela representa para o mundo, sim, para o mundo porque o mundo é de todos, a história escrita é mundial, pertence-nos, é nosso património também imaterial, e foi precisamente “isso” que ruiu…

À parte de tudo isto, já foram doados 600 milhões de €, para a sua recuperação, e bem, tire-se o dinheiro a quem o tem, o resto são contas de outro rosário.

O espírito  da maioria das pessoas, que circundam as redes sociais é o mesmo e o de sempre:

  • Tanto dinheiro para pedra, e esquecem-se dos pobres!!!
  • A pedra vale mais que vidas humanas ??
  • etc

As pessoas que mais comentam depreciativamente , são porventura, as mesmas que provavelmente enchem os cofres de todas as  religiões por esse mundo fora e batem com a mão no peito…

Portanto, aguardo com expectativa e alegria, que a Notre Dame renasça das cinzas, de forma  mais imperial,  majestosa, imponente e mostre ao mundo que o dinheiro doado para a recuperação, nada mais é,  que as doações feitas pelos que reclamam, o agora dinheiro doado, portanto, está tudo certo e ao mesmo tempo está tudo errado…

Para o bem da arte no geral, que se faça o que tem que ser feito, dar “chama”, a algo que com chama foi derrubado…

EU E O MUNDO

 

PORQUE SE PERDERAM OS VALORES DA SOCIEDADE?

Prometo não ser politico-socialmente correcta, como sempre o faço…

Quando foi que se perderam os valores, e as gerações ficaram doentes e vazias?

Antes haviam mães em casa, que cuidavam dos filhos enquanto os maridos trabalhavam, a sua tarefa (das mulheres) era mesmo cuidar (de tudo)…

Com o andar da carruagem, as mulheres quiseram a sua “independência“, e bem, apenas foi esquecido um grande pormenor, os filhos ou as crias, ficaram entregues a si mesmos, ditando  eles próprios as suas regras, e, quando não se sabe dos pormenores, não se percebe o todo…

Se antigamente era o pai que para colmatar a sua ausência, mimava/estragava demais os filhos, agora as mulheres também o fazem, no intervalo disto, perde-se a autoridade…

Filhos com dose dupla de estragação, não pode dar bom resultado, e a verdade, é que esse mesmo resultado, está à vista de todos, onde não existem culpas nem culpados, apenas existem vitimas, e uns seres que nada acrescentam ao mundo que gostávamos de ter…

Mas, a mulher tem todo o direito a ter a sua carreira, claro que tem, mas com este modelo de sociedade,  entregaram-se os filhos ás creches, depois são depositados em OTL (ocupação de tempos livres) e afins, que os educam como bem se sabe, minando todo o tempo livre que têm,  para estes poderem brincar de verdade, sem horas marcadas, nem pressão para serem os maiores da rua deles

Existe muito homem, que trocaria de bom grado a carreira, por uma vida doméstica a cuidar de filhos também, assim creio…

Utopia?

Talvez, ou talvez não, como está é que ficou muito mal, os adultos esqueceram-se das crias, da sua educação, de quem dita as regras, de quem  cuida, de quem brinca e chora junto com eles…

Hoje em dia, é tudo artificial, e já não é problema apenas dos filhos/crias, é de pais também, os que já pertencem à geração “abandonada” a si mesma, portanto, ninguém sabe ou pode ensinar, aquilo que nunca aprendeu, e assim vamos, até que a roleta, faça o inverso, como sempre o fez,  assim que se atinge o exagero…

Existem muitas excepções, claro que sim, e, ainda bem …

(continua)

EU E OS OUTROS

ESCREVO SOBRE AMOR 💖, A PEDIDO DO BRASIL…

Falar ou escrever sobre Amor, é um pouco inglório é estranho, para mim, claro está…

Mormente, este sentimento se confunde com , posse, dependência, que provoca, intolerância, ciúmes, entre outros…

Amor, é apenas amor de amar, seja um companheiro, sejam os filhos, sejam os pais, sejam até terceiros, que despertem em nós, esse amor ao próximo.

Amar os filhos é fácil, diria até que inato, eles, até podem e fazem, muitas asneiras ao longos de suas vidas, tal como cada um de nós faz e fez, mas, os pais sempre perdoam, sempre arranjam um jeito de tudo ficar harmonioso e resolvido, a isto, chamamos amor 💕 incondicional…

Por vezes, esse filhos, sem razão aparente desprezam os pais, e eles , pais, aguentam firme, sofrendo por não saber ou poder ajudar, isto é amar…

Já aquele amor que sentimos pelo próximo, que até não é das nossas relações pessoais, não deixa de ser amor, e por vezes, por eles até fazemos e aceitamos assuntos como se da nossa família se tratasse, isto é sabedoria no amar…

Mas, passando para o amor entre dois seres humanos, sejam homem mulher, mulher mulher ou homem homem, não deveria ser muito diferente, porque o amor não conhece género, era o que faltava, uma lei universal, fazer distinção entre o que alma ordena…

Quando este amor, é mesmo amor, sente-se, cuida-se, acompanha-se, está-se presente, e não tem a ver com posse…

Se por algum motivo, a alma escolher outro parceiro, o que pode acontecer e acontece, guerrear por quem vai, não é de todo amor, é possessão, dependência, pois que, quando se ama de verdade, só se quer ver o outro muito bem, tal como os pais querem ver bem os seus filhos, por vezes magoados é certo, mas o amor vence tudo, aliás, só o amor vence tudo, portanto só um acto de amor 💖, resolve o mais enfermo, o mais magoado, o mais desprezado…

Só sei falar de amor, deste jeito, porque o amor não é divisível em estados e/ou pessoas/géneros…

Portanto, posto isto, antes de amar, ame-se em primeiro lugar, assim, quando o outro partir, não deixa em nós um vazio, e não leva nosso coração  consigo, mas, vai e fica, o conforto de missão bem  cumprida…

Quando amor reside em nós, tudo é mais fácil, tudo se simplifica, e nada se complica…

Porque amor 💖 , é penas amor, essa lei universal que está em desuso, por incompreensão do ser humano, onde a principal causa, está no materialismo desenfreado que nos entra todos os dias casa dentro, através da tv e redes sociais …

(Continua)

EU E OS OUTROS