Tantas noites caladas
Tantas caminhadas sossegadas
Outras tantas atribuladas…
Mas neste caminho se fez dia
E o dia se fez mais outra vez…
Deixou a noite sozinha
Não solitária nem abandonada
Mas entregue a si mesma
Rodeado de silêncios, de fantasmas
De risos , de amores e desencontros
Invisíveis como sempre
Na mente de qualquer gente…
As noites são pausas silenciosas
Onde descansamos
Pensamos, reunimos com nós mesmos
E quando completamente sós
Lhe segredámos os nosso segredos, sem medos…

POESIA VADIA

Anúncios