É um fascino, o propósito de tudo e de nada

Carrega uma carga emocional transcendental

Não é leviana, é fascinante e dominante

É um tudo e nada, conforme a circunstância

São palavras que nada dizem, ou que tudo podem dizer

Temos que as saber, bem ler

O significado é uno, tem a ver com quem o “Olha”

E quem o  “Olha” e pensa,

Normalmente o faz, sobre tudo e sobre nada

Porque este paradoxo, diz muito mais do que se pode imaginar

Alcança quase tudo, em qualquer hora e em qualquer lugar

É um despropositadamente de propósito

Que funde, confunde e difunde…

O MEU OUTRO EU

 

 

Anúncios