Talvez já não tenha mais nada para escrever
No entanto, resisto e insisto
Não é masoquismo
É vontade de pôr em palavras, emoções e sensações
Que de outra forma não era suposto…
Quando pensamos que estamos vazios
Vem de novo a enxurrada
Trazendo um pouco de tudo
E de tudo que trás, poderá não se fazer nada
Mas,
Fica a escrita, da forma que é dita
Pensada, da forma que é formatada
Fica todos os dias, um pouco mais de mim
E enquanto for assim
Haverá sempre algo a acrescentar
Deste, ou de outro pensar
São as emoções, as sensações que nos fazem vibrar
Por isso escrevo como forma de as eternizar
Embora possa parecer que não existe muito mais a escrever…
Talvez já não haja mais nada para dizer
Mas só se for por hoje
Porque amanhã, logo se verá…

O MEU OUTRO EU

Anúncios