Finalmente, descobri que os nossos problemas, são ao nível da “carne”, não ao nível do consciente ou inconsciente, como commumente  se diz por aí.

Como explicar, o que não é comum aos outros, de uma forma que se possa entender?

Pois, decerto a descoberta, tem mesmo que ser cada um por si, pois que, o que outros nos tentam ensinar e incutir, nada tem a ver com as nossas realidades, mas sim,  com as realidade de quem nos incute soluções que mais tarde se transformam em mais problemas, por não entendermos o que o outro nos “deu”, e que não era nosso, nem a nós se destinava.

Quase como sermos os espelhos uns dos outros, estilhaçando-nos  cada dia mais um pouco.

Cada pessoa, é um ser completamente individual, só ela tem acesso ao que sente, como sente e como pode resolver, mesmo que no momento não saiba como.

Mas pensa que não  consegue,  porque o enigma está, na procura incessante fora de si, outras realidades que os possam ajudar, mas que são isso mesmo, apenas outras realidades.

A nossa realidade, a minha realidade, só a mim me diz respeito, não existe outra igual,  como tal, não me posso guiar por opiniões e desilusões  de terceiros, que nada sentem, acerca do que se passa dentro de mim, ou de cada um de nós.

Hoje, descobri, que afinal dentro, não se passa nada de errado, dentro está tudo certo e como deve ser, é um paraíso á solta, para eu nele me sentar e apreciar, livre dos traumas da carne, onde os problemas ganham terreno, para a minar e contaminar, de uma forma tal, que nos faz crer que tudo se passa dentro da nossa essência.

Mas como explicar o inexplicável?

Foi uma busca inesperada, de uma mente super cansada, que num laivo de desespero, se entregou ao invisível, ao subjectivo do entendimento comum, e encontrou uma realidade que habita dentro, mas se arruma para o lado, dando e entregando espaço ao poder da carne, contudo, hoje foi dado o primeiro passo, a caminho do contraditório.

Foi apenas um começo inesperado, a descoberta foi transcendente, e não tem problema porque dentro de nós não tem gente, essa que complica, implica, e faz de conta que nos resolve.

Mas hoje, finalmente descobri um ser, e, um ser diferente, que não sendo outro, é parte integrante de mim, aliás a parte mais importante de mim, porque a ela, ninguém tem acesso, ninguém lhe toca, ninguém  a vê ou sente, por isso mesmo, encontrei-a feliz e saudável, alheia ao que se passa na carne.

Fiz o que tinha a fazer, quando regressei, percebi o que se passa finalmente, lá não encontrei gente, ainda bem, barulho exterior só confunde, desvia o nosso foco, dando espaço às resoluções carnais, que são isso mesmo, carne  que se contamina, que se degrada, definha, morre e com ela não se passa mais nada.

Fica a “alma”, que afinal sempre fica intacta, porque ela está sempre certa…

Esta foi a descoberta transcendental, de tal forma que amanhã nada será mais igual…

ENIGMAS DA MENTE 

Anúncios