Aprende-se que sim, que ele existe, seja qual for a religião, só que de diversas formas, que tem a ver com as culturas e com as vivências…

Falando da católica, diz algures na bíblia, que deus esta em todo o lugar…

-quando existem guerras questiona-se onde esta deus?
-quando existem injustiças questiona-se onde esta deus?
-quando a terra treme diz-que que foi a vontade de deus, mas questiona-se porque o fez?

Resumindo, assume-se que deus existe, em todo o lugar, mas ninguém tem explicação para as atrocidades que ele permite fazer, os mais “religiosos” la vão dizendo que era sua vontade, e assim e assado, justificando sem justificação de facto, tudo isto, que é muito subjectivo…

Neste momento vou apenas falar por mim, que não me identifico com nenhuma religião , mas respeito “todas”, não as religiões, mas as pessoas, afinal é de pessoas que se trata…

Vamos lá ver:
Quando se diz que Deus está em todo lugar, e que nós somos todos irmãos, quando se diz que no dia que todos nos entendermos e falarmos a mesma linguagem, estaremos no paraíso etc etc etc, não esta longe da realidade… Senão vejamos:

Deus, esta figura, no fundo somos todos nós, é como dizer que deus se fragmentou e todos incorporamos um pouco, uns a parte mais forte, outros a parte mais fraca, uns a maligna , outros a bondosa e assim sucessivamente, porque tudo é feito de dualidades, para existir o bem tem necessariamente que existir o mal e vice versa.
O ditado vem de longe ” DEUS QUE É DEUS NAO AGRADOU A TODO O MUNDO” , logo, não é perfeito…

Mas tudo isto porquê?

Simples, porque tenho a “mania” de questionar tudo nesta vida, de observar as pessoas e fazer as minhas teorias…

Sendo assim, o único deus que existe, esta dentro de cada um de nós, por isso esta luta constantemente entre as pessoa porque umas julgam ser o bem outras julgam ser o mal, e não reflectem, apenas lutam e vão tentando achar justificações milagrosas, para tudo que acontece, quando, o que tudo que acontece tem sempre a nossa mão…

Sejam as guerras, sejam as doenças, sejam as injustiças, sejam as catástrofes naturais, sejam as missões de paz , sejam sejam sejam…

Cada um tem uma guerra dentro de si, uma doença, todos nós somos em algum momento justos e injustos, todos nos contribuímos para cada catástrofe que acontece, mas nem todos nós temos aptidão para uma missão de paz, para fazer o bem ainda que nos façam o mal, para perdoar, para amar, somos uns ao sabor dos outros…

As pessoas ao longo dos tempos foram criando normas e leis, países e culturas, agora essas mesmas pessoas, sem preparação previa, quer que façamos todos parte do mesmo saco, ou seja que convivamos como se fossemos apenas pessoas…

Não somos apenas pessoas, cada um carrega dentro de si um deus, e ate que perceba que assim é, nunca mas nunca se vai entender…

Somos nós que temos o poder de alterar o que quer que seja, mas não desfragmentado , tem que ser em uníssono, ate lá, o caminho é longo muito longo…

Se partirmos da premissa , ” não faças ao outro o que não gostarias que te fizessem a ti”, estaria mais de meio caminho andado …

Em fase de pré conclusão, quando nos aceitarmos tal qual cada um é, quando conseguirmos nos rever (nem que seja um pouquinho) nos outros, quando conseguirmos amar, mesmo que não seja retribuído, o mundo estará quase curado…

Ate lá andamos ao sabor do mais forte, ao sabor das tendências, ao sabor do materialismo irracional, ao sabor de cada religião, impomo-nos uns aos Outros como se fossemos detentores de alguma verdade…

Todos temos verdade e mentira, todos somos bons e maus, todos gostamos e odiamos, e TODOS fazemos parte de um GRANDE DEUS…
Temos que começar a juntar os fragmentos para construir o DEUS único, aquele que todos aclamamos seja em que religião for…

Não é fácil, nem sei se exequível, o certo é que existem pequenos grupos que se identificam e lá se vão juntando, mas, uns para o bem e outros para o mal, ou se quisermos todos para o próprio bem, mas com ideologias diferentes o que face uns aos outros os tornam bons ou maus…

Confuso?

Talvez, mas não para mim, que tenho as ideias claras sobre este tema, apenas não o consigo fazer passar da forma que quero ou acho, este écran é muito pequeno para mim, mas como normalmente quem escreve nunca escreve para quem lê, e quem lê, normalmente nunca lê como quem escreve, então, faça cada um sua interpretação …

E para todos os acreditam, para os que não acreditam, e simplesmente para os que aceitam ( como eu), tenham uma boa Páscoa, na essência da palavra e não na essência do costumismo…

Façam parte do todo, e, não apenas da metade…

Albertina Correia

Anúncios