ECONOMIA

Este “mundo” a que chamamos planeta azul, foi ao longo dos anos vitima de atrocidades intelectuais, que agora fugiu do controlo.
Ao longo de décadas foram-se inventando leis, normas, e coisas sem fim , para “disciplinar” o “ser” Humano.
Começou bem antes da pré-história, ultrapassou milénios , acumulando regras sem fim para um mundo a caminho na “des”civilização.
Chegamos ao que hoje somos, donos uns dos outros, fiscais uns dos outros, câmaras de vigilância uns dos outros, viveres em função do que foi instituído.
Como nada foi de repente, nem podia, o povo foi-se acomodando ao instituído, umas vezes porque dava jeito outras porque sim…
Foi montada uma teia gigante em volta do mundo e de nós mesmos, que quem ousa sair do estereótipo, está tramado com o julgamento alheiro.
Encontrá-mo-nos agora presos, em uma teia gigante, sem rua de saída, onde ate as aranhas já nos abandonam..
Onde pensam elas que vão?, Provavelmente fazer teias em outro ponto qualquer do universo…
Estou com falta de ar, deixem-me respirar
Não quero estar aqui
Mas não conheço outro lugar
Estou afónica de tanto gritar
Que quero aquele cantinho
Onde ninguém me vai chatear
Estou exausta de correr
Em um mundo sem mais sentido
Onde todos tecem teias
Mas ninguém é esclarecido
Vou continuar a gritar
Ninguém me há-de calar
A voz pode ate doer
Mas recuso-me a esmorecer
Por vezes as forças falham
Neste percurso atribulado
Mas amanha é outro dia
Eu vou continuar aqui
Só irei ate onde puder ir…

AC 14/12/2013

Anúncios