DANÇA DA VIDA

A vida pediu-me para dançar
A valsa que só ela sabia tocar
Nem teve o cuidado de me ensinar
Atirou-me para a pista
E ali me deixou ficar

Deixou que levasse encontroes
Deste e daquele canto
Não se importou nem um minuto
Se eu dançaria com algum bruto

A vida pouco me olhava
Estava desinteressada
Percebi porque ela ali estava
Afinal levou-me para dançar
A valsa que nem sabia tocar
Arrumou-se para um canto
E observou o meu pranto

Ora vida danada
Da valsa não sobrou nada
Dos encontroes não saí magoada
Afinal estava ensaiada
E a musica saiu-te trocada

Agora vais ter que dançar para mim
Uma musica que não tenha fim
Vou estar bem preparada
Para te ver empurrada
E eu não fazer nada de nada

É vida, é assim
Agora já não te ris de mim
Pensaste em me atrapalhar
Numa valsa qualquer
Que nem sequer pude escolher

Mas me sai na perfeição
Agora olhas sem razão
A canção que escolheste
A melodia que não tocaste
E o baile que eu te dei
Arrasei-te e ai fiquei

Ate que te levantaste
Para mim olhaste
Mandaste-me embora
Eu fui sem mais demora
Dançar em outras paradas
Porque de vidas se trata o mundo
E não de valsas desencontradas

Anúncios