Existem dias em que, quanto mais se somam mais se subtraem
São dias infinitos que não chegam para escrever tudo aquilo que se quer ler
São dias infinitos que não chegam para ler tudo aquilo que se quer escrever

São dias que quanto mais se somam mais os subtraímos

São dias que nos controlam e nós os descontrolamos
Permitem-nos fazer tudo e não conseguimos fazer nada
Porque paramos para pensar, mas os dias continuam a passar

Corremos atrás dos tempos para somar momentos
Ficamos cheios de momentos sem tempo
Tempo, é que mais temos
Perdemos muito dele, a dividi-lo, a somar e a subtraí-lo

Esta vida danada
De tempo já não tem nada
De momentos que fazem os tempos
Estão arquivados, na plataforma neurótica
Da mente do cada um
E de cada dia que passa
Sem tempo e sem momento
Fica a bipolaridade
Numa esquizofrenia colectiva
Que já ninguém sabe a saída
Viva a insanidade num momento de veleidade

Anúncios