Vencida pelo cansaço, mas nunca rendida…
Cansaço que vai longo com intervalos de oitavas
E muitas vezes com pausas de silêncio…
Outras com andamentos allegro ou prestissimo

Pode ser uma bela sonata
Ou uma marcha mais triste
Mas é a vida, tal qual uma valsa
Que nos remete para o belo indescritível
Ou nos atira para uma nostalgia
De vivências próprias da vida…

Mas, a vida é como uma pauta
Que cada oitava apenas tem um dó ou um sol
Mas essa oitava
Tem muito mais que um dó ou um sol
Tem um leque de notas
Que com elas podemos fazer a nossa mais bela melodia…

Por tudo isto,que não é pouco
Tenho utilizado todas as notas da oitava
E quando o cansaço bate, vou sempre buscar outra oitava
Vou acrescentando, mais mais ou menos colcheias
Fusas e semifusas
Assim vou dando o andamento à vida
Para lhe atribuir a alegria mais que merecida…

Toda esta partitura
Não poderá nunca ficar , apenas pelo sol ou pelo dó
Muito menos com uma só oitava
Porque, apesar de o “sol” brilhar
Muitas vezes o brilho tem “dó”
E no final da partitura
Convém sempre colocar :II (mais ou menos isto)
Para quem não souber vale a pena pesquisar…

Anúncios