IMG_0277.PNG Esta saudade Que me provoca Me desafia e me sufoca… Porque não me deixas em paz? Cismaste com a minha pessoa Gostas de me ver sem ar E nem sequer me vens ajudar… És impressionante Por isso te chamas saudade Por me fazeres sentir Que o mundo é de afligir Que tudo que passou não volta E isso te deixa louca Fazes jus ao teu nome Empurrando-me para o abismo Fazendo com que a saudade Aperte e desaperte Sufoque e asfixie E tu ficas para aí Sem sequer te dares ao trabalho De aliviar este fardo Por ti mais que fabricado (Estados de alma) Albertina Correia 01/09/2014

Anúncios