vento

Sou amiga do tempo

Mudo com o vento

Não de ideias

Mas do lugar, e do momento

Molho-me com a chuva

E nem o vento me muda

Somos tramados

Gostamos de ficar molhados

Rimos e bailamos

Danças desencontradas

Em sintonias fantasiadas

É o vento

O meu tempo

Que depois de misturados

Saem por aí embriagados

Feitos doidos de mão dada

Alheios a quem olha

Porque de mãos dadas

Vão pelas encruzilhadas

Em busca de outro vento

Que os envolva por dentro…

(estados de alma)

Albertina Correia

Anúncios