desalinho

 

 

 

Eu poderia escrever sobre o Natal
Mas não me levem a mal
Porque,
Enquanto o mundo chora
O universo esmorece
A vida estremece
Nada fará sentido…
Nem a estrela em cima da árvore
Iluminando coisa nenhuma
Me fará pensar ou iludir
E desta forma o Natal é mesmo só a fingir
A maioria se encanta com uma qualquer prenda
Comprada em formato lista aparato
Onde a palavra não tem sentimento
Onde tudo anda em desalinho
Ou quiçá em desalento…
E assim se finge o natal
Para ninguém levar a mal
Prefiro ficar em modo normal
Onde o Natal
Bem pode ser na Páscoa ou ate no Carnaval!!!

“Tempos incertos”
Albertina Correia

Anúncios