zzzOs mundos que somos, são aqueles que inventamos…

Como se não bastasse o que temos, ainda fazemos nascer outros.

O mundo do virtual está a avançar de uma forma avassaladora e assustadora, e ninguém, pelo menos os mais velhos, estão a dar por isso.

É o mundo dos likes e das selfies, dos canais youtube etc, para tudo e mais alguma coisa, e, para eles mais que normal, aliás quem não o faz é retrograda, dizem….tem o valor que tem…

O paradigma há muito que mudou, mas ainda ninguém o está a estudar de verdade, para tomar medidas , se é que vão dar tempo de as aplicar…

Não me refiro ao facebook, porque esse, há muito está ultrapassado, só serve de passerelle , embora já ninguém veja o desfile, e lá vão dando likes ou pontos , mas ninguém ganha nada…

Tenho tanto para dizer e não me apetece dizer mais nada

Vagueio sozinha pelo pensamento que me vai dentro

Faço acrobacias para perceber esta nova forma de viver

Apenas porque não gosto, mas como estou aqui aqui tenho que Ser

Os pensamentos são só nossos

Ninguém nos pode ajudar a entender, até porque pensar faz doer

E hoje já anda tudo doente,  e nem sequer é por pensar intensamente

Vive-se um tempo tão autista, que já ninguém sente nem mente

Por já nem sequer saber a diferença entre falar e pensar…

E assim o pensamento fica arquivado lá dentro

Lá dentro é um poço sem fundo

Onde nos afogamos por coisas parvas que inventamos…

 

Eu e o mundo

Correia, A (2016), Eu e o Mundo. Lisboa:Chiado Editora

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios