albertina-preto-e-branco

Entre o silêncio e a distância, não existe nada, uma é a outra …

Quando nos silenciamos é porque de algum modo, queremos estar distantes, e quando estamos distantes, ficamos em silêncio…

Quase que chega a ser um paradoxo, porém, os paradoxos, são como os iman’s de carga oposta,  eles se atraem, e um fica no outro, qual distância e qual silêncio…

Distância e Silêncio, não significam solidão, mas sim entrega a nós mesmos, sem out put’s, que fazem interferência…

E assim, podemos ficar  dentro dos nossos pensamentos, enrolar-mo -nos com eles, sem preocupação de tempo e distância, porque um é o outro, e são indissociáveis…

E como tudo que se faz, e/ou pratica, durante muito tempo, vicia, quanto mais distância, mais silêncio, e quanto mais silêncio , mais pensamento, até que um invariavelmente se mescla com o outro , ficando a sintonia com a vida, sem preocupação de mais pensar, porque o pensamento deixa de existir, pois o restante não faz sentido, se o sentido não for apenas o de sentir…

Vamos parecendo melancólicos, nostálgicos, quiçá até tristes, mas os nossos pensamentos, os que verdadeiramente moram lá dentro, que se esvaziam em lagos, esses, são mesmo nossos, são a nossa essência, são a nossa personalidade e a nossa força de vontade.

Não é para entender, é para sentir, para serenar, para distanciar, de tudo que nos rouba a tranquilidade…

Portanto, entre o silêncio e a distância não existe nada, UMA É A OUTRA, indubitavelmente…

EU E O MUNDO

Anúncios