A vida brinca todos os dias, e todas as estações
Faz de mim gato sapato, no bom e no mau sentido
Mas não é por mal, é apenas para me testar
Até onde pretendo ir, e onde pretendo ficar…
Prega partidas a torto e a direito
Faz-me crer que ela é ingrata
Mas não é assim
Ela apenas se quer rir de mim
Me maltrata, coloca pessoas no meu caminho
Faz-me tropeçar nelas
A fim de eu me erguer e continuar a crescer
A vida é assim mesmo
Não somos nós que a vivemos
Mas sim ela que vive em nós
É potente e imponente
Só podia viver mesmo na gente…

E quando estiver satisfeita
De tanto brincar comigo
Me vai envelhecendo
Até à entrada do paraíso

Até que um dia regressarei
Para reviver o que ficou por viver…

Silêncio

Anúncios