O tempo, por vezes volta do passado

Vem fazer uma visita ao presente…

Esquece-se que ele, já está ausente

Ainda assim, ele regressa, sem pressa

Diz e faz coisas, para revolucionar o presente

E assim condicionar  futuro, também ele ainda inexistente…

Umas vezes é leve e solto

Outras contundente, insensível e insolente…

Depois, hó… Depois, lá regressa ele de novo ao seu lugar

Estaciona, observa, irracionalmente faz e condiciona

Tudo isto  estacionado no passado…

Ficamos sem norte, sem passado nem futuro

Porque o presente fica em modo  ausente…

E o tempo é assim, de vez quando regressa sem pressa

Desorganiza o presente

E vai embora, simplesmente…

EU E OS OUTROS

de

Albertina Correia

 

 

Anúncios