Leonor, deixou-se cair lentamente no chão, verteu uma lágrima pesada que teimou rolar devagarinho pelo rosto, chamando pelas outras todas que não queriam sair, mas, não demorou muito, para que todas as outras que estavam em fila de espera, jorrassem pelas faces pálidas, enquanto o corpo ficava entorpecido, as mãos desorientadas sem saberem se enxugavam o rosto, se seguravam o cabelo que esvoaçava, ou se apenas as deixava cair sobre si mesma…

UMA HISTÓRIA

Anúncios