Ninguém pode sentir o que não viveu

Ninguém pode opinar sobre o que não sentiu

Ninguém faz nada se nunca fez

Ninguém é uma multidão

Pensa que cheia de razão

Por vidas que não experiênciou

E por detalhes que nunca partilhou

Ninguém tem mesmo muito peso

Em tudo que não vale a pena

Em opiniões formatadas

Por pessoas de mentes quadradas

Fácil ficar na sua caixa

Opinando sobre suposições

De milhões sem escrúpulos

E outros sem intenções

Nao existe pior ignorância

Do que dar por certo

Vidas e decisões sobre momentos de ilusões

Num mundo repleto de ninguém

Onde ninguém também pensa que que pensa…

E assim se constrói um mundo

Com ninguém como cenário de fundo

Acordamos num universo

Cheio de poeira, lixo e vida

Fabricado por “iluminados”

Que mais valia estivessem calados …..

Folhas Soltas 2015

Albertina Correia

 

Anúncios