ALÉM

(…) Gostaria de me deitar
Numa pradaria ou jardim
Com flores que não tem fim…
Embebedar-me com o aroma
Deixar-me cair e sonhar
E as borboletas sentir
Enquanto bailam no ar
É tudo tanto e bastante
De muito que não se entende
De coisa grande e pequena
E de tudo que vale a pena
Fecho os olhos e sonho
Neste jardim de encantar
Com todas as cores que se fundem
E ao pé de mim Vêm ficar
Adormeço por ali mesmo
Em cima do arcos íris
E vou balançando ao vento
Enquanto sonho por dentro
Porque ainda me é permitido sonhar
Por este jardim quero ficar…

AC 07/12/2013

Anúncios