O rir que parece ser tão simples,
Não deixa de ser confuso
Rir, são palavras soltas com vontade
Que dizem toda a verdade
De uma forma tão estridente
Que nos fazem sentir contente

Um contentamento desnorteado
Com palavras travestidas de sonoridade
Que acabam com qualquer vaidade
Quando soltas com grande vontade

Sao os risos que soltam amarras
De dias acorrentados
Tão saturados de anemia
Que só de pensar arrepia

Faz falta injectar vontade
Nas veias da sonoridade
Para poder gargalhar
Sem ter que se preocupar

Quem as ouve faz de nós loucos
Por não entenderem a dialética
Não procuram sequer saber
Como tudo é simples de acontecer

São gargalhadas contagiantes
De verborreias incessantes
Que nos fazem aliviar a alma
Sem dicionário para tradução
Pois que a veia vem do coração

(…)

AC. 12/07/2014

Anúncios