Gaiata reguila Saltitante

Atitude positiva e um belo semblante

Pensava ser dona da decisão

Se o dia virava noite

Se noite virava dia

Apenas com a sua magia

Não raras vezes dizia

Que a noite sé era noite

Porque ela não ordenava o dia

De tão segura que estava

De que era mesmo assim

Assim foi vivendo seus dias

Esperando poder aplicar

A sua vontade e o querer

Que só ela podia fazer anoitecer….

Por fim chegou o momento

Em que lhe foi permitido

Ficar de olhos abertos até ver romper o dia

Pois que todos provaria que dela isso dependia…

Passaram as vinte e quatro horas

E por fim as seis da madrugada

O sol rompeu o céu, e nada aconteceu

Pois que ficou maravilhada

Com o cenário que contemplava

Que a fez esquecer de ordenar

Que a noite não era para ficar…

Dias e anos passaram

Até tomar consciência

Que as leis da natureza

Não dependiam do seu desejo

Mas de uma harmonia perfeita

Onde nem um sonho de criança

Teria a interversão

Para que o dia virasse noite

E a noite virasse dia

Com a simplicidade de sua magia…

(folhas soltas)

Albertina Correia

29/08/2014

Anúncios