IMG_0307-2.JPG

Setembro de saudades
De tempos no tempo
Tempestivamente calculados
Por desvarios desvairados

Ai setembro setembro
Que de ti já pouco lembro
Esse pouco que transborda
E sai pela estrada fora

Encontra-se com a chuva
Que a medo e de rompante
Manda entrar o outono
Que carrega consigo
Quantidades de folhas soltas
Escritas de uma só vez
Num verão que teve tudo
E de tudo nada fez…

Ai setembro dos amores
Dos encontros e desencontros
Das folhas tu nada sabes
Agora estão arquivadas
Ate a um próximo verão
Que bem pode ser este Outono
Disfarçado de sedução …

(Folhas soltas)

17/09/2014

Anúncios