esperança

Existirá sempre

Uma razão para viver

E quando assim não acontecer

É porque a vida

Há muito estava a morrer…

E, não existe culpa nem culpados

Só que, a vida não tem ouvidos

Desses

Que nos possam compreender

Sendo assim

Vai existir sempre

Uma razão para sobreviver

Nem que seja

Para lhe gritar

Que uma saída conseguimos encontrar…

Como a esperança

É a última que morre

Então é preciso continuar a remar

E se a esperança desaparecer

Corre-se de novo atrás dela

Para a Ela não a perder…

(estados de alma)

Albertina Correia

Anúncios