As almas esventram os mundos

As opiniões são como pinhões

Quase todas iguais

Para parecerem normais

Rasga-se  a  lei e fundamentalismo

Em busca de algo mais

Que mais não é que ilusionismo

Perdem-se na história da vida

E vivem de alma vazia

Assim são os predadores

Que vos roem até os miolos

Sugam-vos até aos ossos

Infiltram-se fundem-se

E param quando esventrados

Vos deixando ficar  de vez calados…

(coisas da vida)

Albertina

Anúncios