brisa

Onde a brisa me abraça

Do tempo que não passa

Que a Lua me cubra o corpo

Me conforte a alma

Me desfaça em pedaços

Na loucura de seus abraços

E que o Sol sempre brilhe

Na sensatez do tempo

De braços abertos ao vento

Que entra por mim adentro

Me envolve e me dissolve

Me dá prazer

Enquanto não chega o anoitecer

Viajar no som das palavras

Pernoitar dia a dia em cada uma

É como viver em paralelo

Só que n’um mundo mais belo …

(estados de alma)

Albertina Correia

Anúncios