Como sempre, muito concisa com o que acredita e /ou vai acreditando cada vez mais…. mas, de facto quando nascemos, nascemos já com uma carga genética em nós, e pode condicionar todo o futuro sem que nos apercebamos… À parte de tudo isto, importa também pensar,e muito, no já estabelecido, no porquê de ser assim , afinal não nascemos tábuas rasas, como acreditava o filósofo, John Locke, é certo que vamos ganhando ou acumulando experiências, que claro tem a ver com o meio/cultura, onde estamos inseridos, e à forma que pertencemos, afinal não viemos ao mundo sozinhos, alguém no se fez cá estar, logo, é normal que tenhamos os mesmo ensinamentos… Como se resolve isto tudo é outro assunto, como eu digo num dos meus textos “só pertence à forma quem a ela quer pertencer” (in. Folhas Soltas -Formatados), mas , para deixar de pertencer à forma, é necessário ter consciência, de que a forma foi fabricada por gente que mais valia estivesse calada, será?, acho que não, temos falado muito sobre estes temas, aprofundado cada um, e cada uma à sua maneira vai dizendo o que acha, e nenhuma esta certa e nenhuma está errada..considero assuntos que se complementam…. Devemos fazer o que queremos é certo, sem pensar no vizinho, na vizinha, no pai,na mãe, nos antepassados etc…mas, a bagagem é tanta, que a maioria não sabe o que fazer com ela…onde eu me incluo…atirar tudo para o ar, e depois? pois, dirá a Carla Francisco, mas é precisamente isso que cada um deveria fazer, mas como disse uma vez, e bem ” é preciso ficar bem para tomar decisões, e não tomar decisões para ficar bem”, e onde fica a fronteira de tudo isto? é a busca incessante pelo saber, pelo estar, pela comunhão do Universo com cada um… mas seremos unos? ou um todo? eu acredito que temos que ser ou pouco dos dois…”sermos nós mesmo , pertencendo ao todo, e no todo cada um fazer a diferença”…mas para isto deveremos estar na mesma frequência, e estamos tão distantes uns dos outros…Se perguntar a alguém o que gostaria mesmo de ser, decerto ninguém o sabe em concreto, porque os condicionalismos pesam tanto que o errado fica certo e o certo fica errado… mas atendendo tudo isto, e se todos fizessem e fossem o que bem entendem, a sociedade não seria o que é e em vez de 7 bilhões teríamos uma realidade bem diferente, que nem me atrevo a especular… mas vale a pena o “trabalho” de me mudar a mim mesma, pena que as pessoas faltem aos seus eventos, estão adormecidas “para o real sentido da vida” (in: Folhas Soltas)…venha o próximo pensamento/reflexão
Não é possível publicar comentário no face, em seu nem meu, consegui dar um nó cego no FACE rsrsrrsrs

Anúncios