a-agua-e-a-terra

Mas de e em  verdade, o futuro não existe

É pura imaginação para viver a vida com alguma “razão”

A do outro,  a nossa será ou não

Fazemos projectos, programamos

E pacientemente esperamos

Mas esperamos pelo quê?

Pelo futuro?

Ou que os nossos projectos dêem os frutos certos?

Pois não se sabe, o futuro é mesmo daqui a um milésimo de segundo

Que agora deixou de ser vivido, por não ser bem entendido

E assim nos cansamos atirando para a frente

O presente ausente

Fazendo dele futuro porque não foi resolvido

No milésimo de segundo pretendido

Coisas do universo, e de humanos desumanizados

Que sobretudo fazem planos

Dos segundos que inventamos.

E de futuro se trata a vida

Não a que lá está, mas a que é agora vivida

Gastamos maior parte do nosso tempo

A programar mais adiante

O que de verdade acaba por nunca chegar

Da forma que estávamos a pensar.

Então deixemos o futuro lá estar

A passo e passo lá iremos parar

Sem projectos e sem condições

A fim de vivermos o presente

Fazendo o futuro ausente

Albertina Correia

Anúncios