escola1

Foi há muitos anos, pelo menos 44 anos,  quase meio século, de lá para cá,  tudo aconteceu de uma forma verdadeiramente astronómica, diria até assustadora… por isso vou relembrar os famosos anos 70, e a minha escola…Aquela que está em cima, não, na época  não tinha grades, tinha sim grandes roseiras, e trepadeiras que floriam na primavera,  cheiravam muito bem, tinha árvores que fomos nós que plantamos ao que parece já não fazem falta…tinha janelas e portas em madeira, de cor verde musgo, por onde entrava a D.Maria da Dores que tocava o sininho para nós nos apressarmos , NÃO, não havia campainhas eléctricas, e não , não sou velha , “adoro aquele tempo “, pena é as flores terem dado lugar a grades, e, dentro todos sabemos como funcionam hoje em dia…

escola

Era no tempo em que, composições se chamavam REDACÇÕES, e faziam parte do dia a dia, de quem frequentava a escola na primária, e, naquele tempo não havia contemplações ( nem défice de atenção, hiperactividade, entra tantas outras coisas que se inventaram, provocados por tanta tecnologia mal doseada, para assim dar nome aos nossos estados reais de alma, ou às nossas emoções) coisas de século passado e, ainda bem…era tudo feito à mão, nas famosas sebentas,  e não em teclados,  o restante,  era resolvido no famoso recreio…

SEBENTA

Naquele dia o tema era, imagine-se lá “O LÁPIS, O PAPEL A BORRACHA E O AFIA” afia também chamada “aguça” , um titulo digno de um “derrame cerebral” para quem não queria ser servida com os famosos “bolos” ou seja, as réguadas com os  olhinhos heheheregua com olho

Foi-me lançado desafio para recriar a famosa Redacção, que correu todas as salas de aulas de todos os anos, para ser lida em todas elas, em vós alta…

Lembro-me que foi assustador , eu tinha que estar de pé ao lado de quem a lia, sem saber muito bem o porquê daquilo tudo, pois que não nos era dito nada, cheguei a imaginar-me num zoológico, onde  me olhavam, e se umas  colegas, estavam com ar feliz havia também as tais de  outras de caras carrancudas, as ditas invejosas, e,  sem eu saber o porquê, afinal eu só tinha 07 anos…

Então compenetrei-me nas famosas cadeiras coladas às mesas próprias da épocacadeiras de aula

E comecei a dar asas à minha imaginação que parecia não querer chegar.

Em primeiro o meu nome , data e depois o famoso titulo:

Albertina Correia……………..02 Setembro 2015 (recriando 1970)

O LÁPIS, O PAPEL, A AFIA E A BORRACHA

lapis sebenta (2) afiaborracha

Ora aqui  vamos nós, mas que porra, que abafado está aqui dentro, a nossa dona não tem nenhuma sensibilidade, imagina colocar-nos na sua pasta como se fossemos todos farinha do mesmo saco, isto é com cada uma…nem sequer liga o ar condicionado.

Sr Papel-Ufa que maçada, acho que estou a ficar amassada, mas que vergonha ,como vou poder enfrentar uma turma desta forma , já tenho até as famosas orelhas de burro…

Sr Lápis-Cala-te Papel, já nem te posso ouvir, então o menino está a ficar amassado, é isso que o preocupa, é? ha ha ha ha , enfrentar a turma todo enrugado?

Pode ser que a tua dona te compre um desses cremes para colocar no teu corpo hahahaha.

És mesmo parvo, pensas que por seres Papel em branco, onde a nossa dona pode registar as  historias que ela quiser, que és o maior, desaparece da minha vista pá, já nem te posso ouvir, irra

E, Olha lá, pára mas é  com as tuas manias, porque, espera só para veres o que eu posso fazer em cima de ti ha ha ha ha

Sr Papel-E se fosses dar uma curva  Lápis? assim a pasta ficava com o ar mais respirável, que te parece ?

Estás para aí todo eriçado, mas parece que estou a ver a tua ponta de cima roída, e o bico partido, será roído de inveja , e sem pio? ha ha ha já me doi a folha lombar de tanto me rir.

Borracha – Ai estúpidos, cheguem-se para lá, mas o que se passa,  tudo a vir para cima de mim, sei que sou um pouco fofa, diria que até sou um borracho, mas na verdade sou mais uma Srª borracha, ainda assim não sou nenhum colchão, xo vão de retro.

Há parte de tudo isto, ontem a  nossa dona, resolveu lavar-me de cima a baixo, para tirar a porcaria feita por ti Sr Lápis,   estou toda partida, por isso ao largo seus imbecis,  d-e-s-a-p-a-r-e-ç-a-m.

Hum diz ela em Silêncio, e, ainda bem porque quando ela me lava fico toda consolada, e pronta para mais uma safadelas 😉

Afia –  Cof cof cof, escuse moi, que se passa, porque estão tão irritados?

acalmem-se, porque já me doi os ouvidos, e olha que eles são de metal, mas paciência tem limites por isso não cansem a minha beleza.

Afinal a rainha desta pasta c’est moi

Borracha, Lápis, Papel –  Ha ha ha ha , donde saiu  esta?

Regardez bem,  façam  attencion,  ela é uma R-a-í-n-h-a Ha ha ha

Lápis  – Marie Antoiniette? és tu mesma ?

Afia – Olha seu empiriquitado , sempre quero ver como te vais safar, quando a nossa dona começar a escrever, falta-te o BICO , vais precisar de mim sabias? portanto tem lá cuidadinho se estás roído de inveja, isso daqui a pouco passa-te, agira deixa-me passar, porque onde anda moi, não fica toi …vite vite…

Borracha  e Papel – ZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzz

continua

Anúncios