eu

 

E quando o silencio se cansar?

Andamos anestesiados com barulhos, que parecendo que nos preenchem, apenas nos anestesiam, não permitindo que oiçamos o nosso silêncio.

Chegados a estados avançados de alienação, devido em parte a esta  barulheira infernal, somos dopados com químicos, receitados  por pessoas que estudaram o “isso” de nos anestesiar.

Quando anestesiados, continuamos a deixar de ouvir o nosso silêncio, e passamos a ouvir um vácuo, que na verdade, e em verdade, é tudo que  somos e estamos,  não precisamos viver, só que ainda não percebemos …

Quando a mente já não aguenta, entramos em  estados tais, que mais parecemos zombies, e então, barafustamos, não percebemos, vamos de frente para o embate, atropelamos, atropelamos-nos, e, de cansados a maioria retira-se para outro mundo, levando consigo a energia desgastada, esgotada e desgovernada…

Depois, ficam aqui as energias das pessoas que os vivenciaram  de perto, frustradas, arranjando mil explicações para assuntos que são da cada um, e de cada mente,  preparada e/ou despreparada para os resolver.

E assim, o cosmos fica repleto de barulho e energia , exportado da terra, via desencarnação, fazendo tremendas tempestades, que nos colocam verdadeiramente à toa e desnorteados…

Mas, como andamos ocupados demais com o barulho que nada diz,  não conseguimos ouvir o silêncio da verdadeira mensagem…Sim, porque as verdadeiras mensagens não fazem ruído, só necessitam de atenção…

Então,  e quando o silêncio se cansar de vez?

Poderá ser tarde demais, não para o cosmos , mas sim para cada um de nós…

EU E O MUNDO

Albertina Correia

 

 

 

Anúncios