Gosto do olhar dela
É intenso, penetra e inquieta

Deixa-a com os pensamentos à solta

Sem adjectivos qualificativos

Do estado de cada olhar

Seja qual for a direção seja qual for o  lugar

Invade e inquieta
Por não ter como aprender

O que lá dentro se passa e se possa ler
Torna-se intenso em cada pestanejar

Esse que lava a alma

Inquietantemente calma
Ainda assim, gosto do olhar dela

Aquele que é intenso e penetra

Por ser portador de coisas tantas

Que tantas são as coisas que inquieta…
Aquele olhar

Que mais nenhum é similar

Goza-me, irrita-me, desmonta-me

E sai por aí solto ao vento

Soltando lagrimas para fora

E guardando sorrisos para dentro…
Mas aquele olhar traquino,

De mulher criança

Que pula e que dança

Inquieta, acalma e desalma

Deixa transparecer o que ela quiser ser…

A tradução é inalcansavel

Só mesmo a dona o sabe interpretar

E mesmo assim duvida de todos e até de mim

Que faço um esforço hercúleo

Para ser eu a inquietar, penetrar intensificar

Fundindo assim os dois seres

Mergulharem de olhos dados

E adormecerem  alegremente enamorados…

17/04/2016

Albertina Correia

(ELA)

Anúncios