castanho

Não contemos com ausência de dor, pois seria  dramático…

Imaginem o que seria , se não a sentíssemos, poderíamos ser esquartejados e nem dávamos por isso, cair aos pedaços sem darmos por isso, queimarmos-nos sem darmos por isso, uns zombies leprosos, sem darmos por isso…

A dor, serve para percebermos  o que nos acontece, e assim resolver, evitar ou guardar…

Mas é facto que outras dores sentimos, que são psicológicas, e não deixam de ser diferentes, ou até piores…

Acontece que, com tanta informação e contra informação, estamos a ficar imunes a essa dor, a de ver , anestesiados já nem queremos saber…

Pois claro, tudo que é em excesso mata, ou habitua, e neste caso, estamos habituados à dor dos outros,  e nem sequer tomamos consciência, nem  damos conta, até da nossa…

Habituamo-nos a ver , a ler, a ouvir verborreias, que ferem nossos ouvidos, e já nem retaliamos, andamos que meio alienados, feitos fantasmas,  transportando em nós pedaços de dor, adormecida, que já não faz mossa alguma…

Escrevemos , reescrevemos, transcrevemos estas dores, sem as sentir de facto, mas elas, vão-se acumulando no nosso organismo, sem darmos por isso…

Imaginemos só, se esta dor, a psicológica, desse para partir pernas, ficar paraplégico etc etc , estaríamos com toda a certeza, muito mais atentos …

Até lá, vivemos deste nosso jeito, cientes da dor que sentimos, pois que, a sua ausência seria dramática, nem daríamos valor ao bem estar…

Resta a psicológica, que está  lentamente a matar, até que de fartos com toda a certeza nos vamos fartar…

Mas, a dor tem que existir, sem ela seria dramática a vida…

EU E O MUNDO

Albertina Correia

Anúncios