Continuo pela noite calada…

E sozinha digo e penso tantas coisas

Que já nem consigo pensar mais nada…

Algumas até são  feias

Muitas vezes, parece que nem sei o que penso e  digo

Mas o que digo e penso, é com toda a certeza aquilo que sei…

E pela noite dentro, oiço vozes que gritam

Outras que pensam e as restantes lamentam…

São os assuntos do Silêncio que mora dentro

Que quando na noite calada

Saem por aí adiante,  como se não se passasse nada…

Mas a noite é cúmplice destes estados

Que nos alimenta sem pedir licença

Que nos atormenta sem razão aparente

Mas no final lá vem a luz

Essa que enaltece, sempre que a noite desaparece …

Continuarei pela noite calada

Até que de cansada, já não possa pensar mais nada…

EU E O MUNDO

Anúncios