Visitar Versailles, é voltar no tempo, o tempo da ostentação, do absolutismo, daí que o ditado popular “à grande e à francesa”, quando se ostenta algo, esteja ainda bem patente e permaneça até aos dias de hoje…

Visitar esta maravilha, engrandece a cultura de cada um, como forma de enriquecimento próprio e não ilusório de tudo que ela representa, seja pela positiva ou pela negativa, porém, não podemos esquecer e nem apagar, como tudo se processou.

Não podemos fazer nada pelo que já aconteceu, mas, podemos observá-lo em um outro ponto de vista, o da beleza que ostenta em cada peça ou planta colocada minuciosamente…

Nunca me cansarei de o visitar, porque tem sempre algo que ainda não vi,sejam plantas, fontes, estátuas, arte/pintura, ou mesmo compartimentos…

Perdemos-nos em tanta beleza, para nos acharmos numa realidade bem distinta…

O mundo mudou?

Não me parece que tenha mudado grande coisa, afinal, tudo que vale “ouro” pertence aos poderosos, que põem e dispõem de um povo, não importam os séculos, ou o século em que se vive, somos nós, as partículas menores do universo, que somos de forma imposta, sempre chamados a pagar o preço …

Portanto, o mundo e as pessoas não mudaram, apenas se ajustaram a outros tempos e outros contornos, ainda assim, gostaria de fazer uma viagem ao passado, e àquelas festas exuberantes, como não é possível (para já), deixo que a minha imaginação o faça…

Até lá, e sempre que visito este grande palácio, sempre paro neste ou naquele lugar recordando quem quem lhe deu vida, e a vida, porque afinal, morrerem muitas pessoas na sua construção que merecem o respeito de cada visitante…

Ver o filme que aqui deixo, deixará mais claro, tudo o que parcamente escrevo, como tributo a esta obra de arte que tanto me encanta!…

OS ANOS LOUCOS