Nunca os números nos escravizaram tanto, mas estes, não são os financeiros, estes, são os da contagem do medo, do desespero, da não aceitação, da libertinagem, da liberdade ou falta dela, da conspiração, da clausura, do mórbido , da exaustão de tudo e de todos, mas principalmente, por pôr a nu a debilidade dos serviços de saúde em qualquer parte do mundo!

Vivemos algemados ao medo, não nos entendemos e não entendemos os outros …

Fazemos especulações, conjeturamos, queremos ter razão absoluta, diabolizamos, e ao mesmo tempo, lá vamos simplificando, o que resulta, é o que temos visto!

Também gosto de teorias da conspiração, sem entrar em paranoias, até porque a ciência, só se fez mais eficaz, quando usando o direito de contraditório…

Sei que escrevo da mesma forma que S. António pregava aos peixes, ainda assim escrevo, como forma de estar presente, lúcida, mais ocupada quando desocupada de trabalho, mais analítica, introspetiva, extrovertida, etc, e, tudo tem o seu tempo e o seu espaço, mas não sejamos a demasia em tudo, principalmente no que não podemos mudar, e assim escrevo e continuo a pregar 🙂

Desta forma, não singular, pois que a vida repete-se cem mil vezes pelo menos, segue o mundo, com este cenário de fundo, onde nos encontramos, esvaziamos e nos enchemos de nada …“2019 na época sazonal da gripe , morreram 12.000 pessoas em Portugal com a mesma” !!!!

Mas, nesse tempo não havia contagem de nada …

Porém, e pelo sim ou pelo não, vamos colocar a máscara, mais vale prevenir que remediar, desde que com tudo isto, não viremos pessoas sem rosto, sem riso, sem identidade, ou sem qualquer finalidade…

No final de contas, sempre vale a pena viver, sobreviver, lutar e depois vencer…

OS ANOS LOUCOS DO SEC XXI