20140723-002324-1404100.jpg

Quero continuar pássaro
Livre como o vento
Vento que leva a chuva que lava
Pássaro que voa e cansado poisa

Mas quero continuar pássaro
Voar ate desaparecer
Numa alvorada
Ou em qualquer amanhecer

Ser frágil, e poder pernoitar
Naquela arvore bem longe
De tudo que me faz esmorecer
Desde a noite ate ao entardecer

Ser pássaro é ser rei dos céus
É ir e vir, e não ter quer fugir
Nem ter que desistir

Ir com o inverno
Regressar com a primavera
Olhar em volta
Ser livre para ficar ou partir
Para cantar ou para chorar
Em pranto ou em silencio
No sussurro do vento
No brilho do sol
Na suavidade do luar
E ai poder descansar até um novo acordar

Voar madrugada dentro
Guardar e dar o que tenho dentro
Sem perder nunca as asas do meu tempo
De ser um pássaro
E voar ate me cansar…

Do alto da montanha
Onde chuva chega primeiro
Onde a brisa me abraça
Onde o tempo não tem tempo
Do meu tempo de todos vós
Cada um tem seu cantinho
Neste meu mundo que é o meu ninho

Ó chuva lava-me e leva-me
Para bem longe daqui
Esbate na doce cachoeira
Cada pedacinho de mim
Que guarda cada um de vocês
Num amanhecer sem fim

Sou esse animal livre
Que precisa de voar
Não quer desaparecer
E não quer aqui ficar
Mas Este pássaro rebelde e carente
Precisa mesmo de descansar…

Albertina Correia 24/07/2014

Anúncios