Quando olho no espelho

Vejo imagens de sol e vento

De tristeza, alegria, mas, também de desalento

Vejo o verde que se esbate

Sobre um olhar que esvoaça e trespassa

Tentado ligar pensamentos do presente

A um futuro que se avizinha ausente…

Depois, volto a firmar e cerrar os olhos

Mantenho o foco

O espelho continua inteiro

Repassando a vida pela frente

Recuso-me a estar ausente

Ainda assim, a imagem não muda

Tristeza ou alegria que se aprofunda

Sobre vida que se vive de forma absurda

Nada mais conta

Que um olhar matinal

Sobre um espelho oval

Que passa todos os dias uma mensagem

De como os olhos vêm a vida e o mundo real

Visão aterradora e também já normal 

Contudo, ela  continua

Sempre existirá uma luz, lá bem no fundo

E quando a queremos apagada

Vem outro sopro de vento

E de novo a mantém  iluminada…

EU E O MUNDO

Anúncios